Moro confisca R$ 7,35 milhões Gim Argelo. Ex-senador recebeu propina para livrar empreiteiros CPMI da Petrobras

Posted by

gim-ii

 

O juiz Sérgio Moro condenou o ex-senador Gim Argello a 19 anos de prisão, por ter atuado para atrapalhar as investigações da CPMI da Petrobras no Congresso. Moro impôs a ele um confisco de R$ 7,35 milhões.

Gim Argello, que era do PTB do Distrito Federal, foi condenado por corrupção, lavagem de dinheiro e obstrução às investigações. Segundo a Lava Jato, ele recebeu o dinheiro, a maior parte na forma de doações eleitorais, para evitar que empreiteiros fossem convocados a depor na CPMI da Petrobras em 2014. Ele era o vice-presidente da CPMI e foi preso em abril, na 28ª fase da Lava Jato.

O juiz Sérgio Moro determinou que os bens do ex-senador sejam confiscados, até cobrir os R$ 7,3 milhões. Segundo o juiz, o recebimento de propina por parte de integrante da CPMI é uma afronta à dignidade do parlamento e por isso ele ordenou que o dinheiro da indenização seja entregue ao Congresso.

Em nota, o advogado de Gim Argello disse que o ex-senador não cometeu nenhuma ilegalidade na CPMI e que vai recorrer da sentença.

O PTB disse que a suspeita de recebimento de propina não tem ligação com o partido e que espera que Argello consiga provar sua inocência.

Advertisements
Anúncios

2 comments

  1. Isso ai juiz Sergio Moro ,se isso e verdade , realmente o senhor e o melhor juiz , faça todos eles devolver para o Brasil , fica um exemplo para os demais senadores e deputados ,Juiz Moro e isso que o povo espera de ti , justiça

  2. Não só o ex senador Gim, mas todos envolvidos em falcatruas, tem que ir pra cadeia e devolver tudo que roubou corrigido!

Deixe uma resposta