República de Curitiba

Início » Uncategorized » Odebrecht usou Petrobras para compensar esquema fracassado com Palocci

Odebrecht usou Petrobras para compensar esquema fracassado com Palocci

Estatísticas do blog

  • 1,654,269 cliques
outubro 2016
S T Q Q S S D
« set   nov »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Facebook da Republica de Curitiba

mantega-palocci

Para operar o grande volume de dinheiro que circulava nas transações corruptas entre PT e a Odebrecht, a construtora chegou a manter uma conta corrente da propina com o partido, é o que sugere a planilha apreendida pela Polícia Federal. Para Palocci, por exemplo, o “italiano”, Marcelo Odebrecht reservou um aporte de R$ 6 milhões. Para Lula, identificado como “Amigo” o montante seria de R$ 23 milhões.

Guido Mantega

Na planilha também aparece outro adjetivo que pode ser referência ao ex-ministro da Fazenda  de Lula, Guido Mantega: “Pós-Itália”. A ele foi reservado o direito de fazer o que bem entendesse com R$ 50 milhões.

O motivo do envolvimento do ministro da Fazenda no esquema criminoso orquestrado por Palocci deu-se pelo seguinte fato: seria de Mantega a autoria de uma medida provisória que impactaria de forma positiva nos cofres da empreiteira, por meio de benefícios fiscais, segundo a PF.

Contudo, o plano deu parcialmente errado.  Na ocasião, o Supremo Tribunal Federal negou os eventuais benefícios ao grupo empresarial gerido Marcelo Odebrecht. Palocci tinha agora a missão de reparar o prejuízo causado pela “derrota” imposta pelo STF.

Por isso, o ministro orientou que Marcelo determinasse a seus executivos que buscassem opções de compensação pela ausência de ganhos fiscais do grupo. A dica de Marcelo para seus funcionários foi a de que deveriam apresentar opções de possíveis benefícios tributários ou obras da Petrobras. No despacho da PF, veio a constatação: “Esta mensagem, em síntese, traz ainda mais robustez à conclusão alcançada pela Operação Lava Jato de que a Petrobras era utilizada de maneira criminosa”.

José Serra

O tucano José Serra, ministro das Relações Exteriores do governo Temer, também caiu na malha da Lava Jato. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, executivos da Odebrecht que negociam delação premiada contaram na última semana como a empreiteira depositou R$ 23 milhões para a campanha do tucano à Presidência da República em 2010. Os repasses teriam sido realizados por meio de contas bancárias na Suíça. Corrigido, o valor é superior a R$ 34 milhões. Ele nega. O dinheiro seria de caixa dois. Nos depoimentos de dois executivos da empreiteira, o ministro é identificado como “Vizinho” ou “Careca”.

 

Com informações da Istoé.


2 Comentários

  1. Luiz Rogério de Carvalho disse:

    Com a impunidade, que sempre foi a regra no meio político brasileiro, a corrupção tornou-se endêmica e, com a chegada do PT ao poder ela foi aperfeiçoada. Felizmente, surgiu a Lava Jato que, com a atuação da PF, MP e Judiciário nos trouxe a esperança de ver o Brasil passado a limpo, com os corruptos na cadeia.

    Curtir

  2. Elzajgomes@gmail.com disse:

    Procurar lavagem de dinheiro do palloci em dois hospitais em ribeirão preto que são de propriedade dele é quem dirige é o irmão, Pedro palloci. Hospital ribeiranea e hospital são Lucas.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

República de Curitiba

%d blogueiros gostam disto: