República de Curitiba

Início » Uncategorized » Brasil tem 22 mil “autoridades” com foro privilegiado. É o sistema mais ineficiente do mundo

Brasil tem 22 mil “autoridades” com foro privilegiado. É o sistema mais ineficiente do mundo

Estatísticas do blog

  • 1,654,269 cliques
novembro 2016
S T Q Q S S D
« out    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Facebook da Republica de Curitiba

congresso-lotado

Nenhum outro país tem tantas autoridades com foro privilegiado como o Brasil. Aqui, são 22 mil pessoas com “foro especial por prerrogativa de função” – nome tecnicamente correto. Portugal, Espanha, Argentina e Colômbia adotam sistemas parecidos, mas em nenhum deles essa prerrogativa é estendida a tantos indivíduos quanto no Brasil. Os Estados Unidos não adotam o sistema de foro privilegiado. A Itália prevê a prerrogativa de foro em hipóteses muito limitadas. Na França, idem. Ou seja, o tratamento dado à matéria é absolutamente diferente em diversos países.

O foro privilegiado é um mecanismo pelo qual se altera a competência penal sobre ações contra certas autoridades públicas. Isso significa que uma ação penal contra uma autoridade pública é julgada por tribunais superiores, diferentemente de um cidadão comum, julgado pela justiça comum.

Por exemplo, o Supremo Tribunal Federal (STF), com 11 juízes, conduz hoje 369 inquéritos e 102 ações penais contra parlamentares. Investiga, até o momento, um terço do Congresso. Para agravar o cenário, o STF leva em média 617 dias para receber uma denúncia e mais de dois anos para julgar um caso.Veja que isso explica claramente porque é tão difícil vermos um político corrupto ser condenado. O sistema brasileiro é, sem dúvidas, totalmente ineficiente.

Para efeito de comparação, um juiz de primeira instância, como Sérgio Moro, consegue receber denúncias em menos de uma semana e julgar uma ação num prazo de seis meses a um ano.

Veja o que declarou o juiz da Lava Jato sobre o assunto:

“Eu, particularmente, acho que tem que ter uma abordagem muito pragmática. Tem o Supremo condições de enfrentar toda essa gama de casos? Há uma série de dúvidas. Não que o Supremo não seja eficiente, mas é um número limitado de juízes e é uma estrutura mais limitada para comportar tantos casos. O Supremo não tem só esse trabalho à frente, tem todos casos constitucionais relevantes e não pode se transformar, simplesmente, numa Corte criminal. Na minha opinião, o ideal seria realmente restringir o foro privilegiado, limitar a um número menor de autoridades, quem sabe, os presidentes dos três Poderes. E retirar esse privilégio, essa prerrogativa, de um bom número de autoridades hoje contempladas. Acho que seria a melhor solução.”

 
Quem apoia o fim do foro privilegiado

Semana passada (4), o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) protocolou na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) relatório do projeto de lei que determina o fim do foro privilegiado para políticos.

O parecer pede o fim do foro para promotores, juízes, deputados, senadores, ministros, procuradores, prefeitos, deputados distritais e estaduais, conselheiros dos Tribunais de Contas, conselheiros do Conselho Nacional de Justiça e do Conselho Nacional do Ministério Público, além do próprio presidente da República. “Meu parecer acaba, inclusive, com o foro para presidente da República”, afirma Randolfe.

O senador Álvaro Dias, autor de proposta de emenda constitucional que acaba com o foro privilegiado, considera que a criação de uma “vara especializada” para tratar do assunto, como sugerem alguns, só é aceitável exclusivamente para “o presidente da República e ministros do STF”. Os demais casos deveriam ser tratados na Justiça comum.

A ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), também defende mudanças na prerrogativa de foro, medida que, para ela, significa privilégio e “não é compatível com a República”.

Outro ministro do STF que quer o fim do foro privilegiado é Luís Roberto Barroso: “É preciso acabar ou reduzir o foro privilegiado, ou reservá-lo apenas a um número pequeno de autoridades. É uma herança aristocrática”, disse Barroso. O ministro Marco Aurélio Mello também é  contra “por ele não ser republicano. Sou de concepção democrata, penso que todo e qualquer cidadão, independentemente de cargo ocupado, deve ser julgado pelo juiz de primeira instância, como ocorre nos Estados Unidos”, disse em entrevista recente.

O decano do Supremo, ministro Celso de Mello, já se declarou “decididamente contrário à prerrogativa de foro”. Mas admite que ele seja mantido unicamente para os chefes dos Três Poderes, o Procurador-Geral da República e os ministros do Supremo, como órgão de cúpula do Poder Judiciário.

 

A questão é que, embora a maioria da classe política esteja cega com os privilégios que possui, incluindo o foro privilegiado, é fundamental que a sociedade aponte e se manifeste para o desgaste a que estão submetendo a democracia.

O foro privilegiado foi instaurado na constituição de 1988 e, desde então, o país tem sido alvo de grandes escândalos de corrupção  na administração pública. Está claro que o foro privilegiado não funcionou nesse período. Principalmente, se considerarmos a existência de figurões como Jucá, Sarney  e Renan com décadas de corrupção em suas costas e total impunidade.

7 de novembro de 2016

Elisa Robson é jornalista, especialista em Marketing e Negócios, mestre em Comunicação e Linguagens e administradora da página República de Curitiba.

foto-elisa-x

 

 


3 Comentários

  1. Antonio jorge Oliveira passos disse:

    Eu também concordo com a retirada do foro privilegiado de todos os políticos.

    Curtir

  2. Glória Isabel Augusta Oliveira da Gama disse:

    Sou a favor da pec que derruba o foro privilegiado de todos. Hoje , os presidentes e o alto escalão da República , se apresentaram como os maiores corruptos do Brasil , portanto , nem eles podem ficar com esse privilégio.

    Curtir

  3. Valter disse:

    Quem cumpre obrigações, respeita a lei e os cidadãos de maneira geral e seja qual for o escalão, são todos funcionários, tem um dever a ser cumprido antes de qualquer privilégio, porém utilizar-se de foro privilégiado é dar alimento pra bandido. Tem que acabar com isso logo, demorou muito!

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

República de Curitiba

%d blogueiros gostam disto: