“Caixa 2 não é propina e não vamos aprovar o pacote das 10 Medidas”, declara dep. Carlos Marun (PMDB-MS)

carlos-marun-2

 

O deputado Carlos Marun (PMDB-MS) lidera a bancada que ameaça rejeitar o pacote de medidas contra corrupção elaborado pelo Ministério Público. Agora, ele avisa que se o relator Onyx Lorenzoni (DEM-RS) não incluir de volta no seu texto o crime de responsabilidade para juízes e procuradores que cometerem ilegalidade, o texto não passa. A votação está marcada para terça, 22.

Sobre a malandragem do  caixa 2, ele deu a seguinte declaração ao jornal O Estado de S. Paulo: “Caixa dois não é propina, não é corrupção, é outro tipo de relação. Político não gosta de caixa dois, gosta de receber e botar na sua conta. Mas, após se fazer uma criminalização da doação oficial, muitas empresas começaram a preferir fazer doação sem revelar.”

MPF

Para os procuradores do Ministério Público Federal, o tópico “crime de responsabilidade” é um assunto que pode ser discutido sem problema algum, desde que seja “depois” da votação referente às 10 Medidas. Exatamente porque o foco hoje é a questão da corrupção (crime contra o erário público) e, não, repentinamente, fazer uma análise da conduta dos procuradores e magistrados (que por sinal, tem sido exemplar no caso da Lava Jato). Veja o que declarou o procurador da República Roberson Pozzobon, da força-tarefa da Operação Lava Jato, em Curitiba.

“Nunca foi discutido (o projeto sobre crime de responsabilidade para procuradores e juízes) nas diversas audiências públicas (sobre o pacote das 10 Medidas), nunca foi discutido com o Ministério Público, com o Judiciário, então nos causou surpresa”, disse. Ele acrescentou que é mais um ataque, assim como a nova redação à Lei de Abuso de Autoridades, do presidente do Senado, Renan Calheiros: “isso é basicamente um cala-boca sobre aqueles que estão trabalhando para trazer os delitos à tona e responsabilizar os seus autores.”

Caixa 2

Para o juiz Sérgio Moro, embora não exista uma “bala de prata” para acabar com a corrupção no país, as propostas das 10 Medidas devem ser levadas adiante porque poderão ajudar a reduzir os níveis de desvios de dinheiro público no país.

Ele também defende com ênfase a aprovação da tipificação do crime de caixa dois. Segundo Moro, muitos dizem que se trata de delito menor, amplamente difundido no país. Para o juiz, o caixa dois é um crime grave e não há nada que o justifique. Ele argumenta que, se candidatos podem receber dinheiro por meios legais, não há porque buscar recursos por meios clandestinos.

— Caixa dois é visto como um crime menor, trapaça de uma eleição. A meu ver não existe uma justificativa ética para esse tipo de conduta. É necessário ter a criminalização desta conduta — afirma Moro.

 

Participe da discussão

65 comentários

  1. Se caso for aprovado esse caixa 2, ficará melhor para flaudar, pois todo dinheiro sujo que entrar poderá dizer que foi recebido por jeito de doação, mais um golpe.

  2. A democratização do crime não descriminaliza a ação criminosa. A ação crimonsa não deixa de ser crime porque cometida por muita gente. Demonstra a falta de consciência da sociedase que a tolera.

  3. Para estes políticos LADRÕES, roubar já não é crime, faz parte da sua realidade do dia a dia.
    Já estão acostumados a roubarem.
    Vamos acabar com essa raça de políticos ladrões, as eleições já estão chegando.

  4. Estado do Mato Grosso … é dificil achar um adjetivo para qualificá-lo lembrem dele 2018!

Deixe um comentário
%d blogueiros gostam disto: