Para reconstruir o Brasil precisamos de homens fortes

Posted by

dalla-e-moro

 

Por Elisa Robson*

O filme O Resgate do Soldado Ryan, de Steven Spielberg, tem uma das cenas mais comoventes do cinema. O capitão Miller (Tom Hanks), está morrendo numa ponte. A sua mão direita treme e os seus olhos estão sem expressão.

O soldado Ryan (Matt Damon) então se curva para ouvir as suas últimas palavras: “Faça por merecer isso”. A câmera mostra Ryan tentando entender o que Miller quis dizer.

Estou recordando essa história porque a sua continuação nos ensina muito sobre a trajetória masculina em direção à potência, à autoestima e ao valor próprio. Continue acompanhando.

Na sequência, um corte mostra o rosto de Ryan com mais de 70 anos. Ele está com a família diante do túmulo do capitão Miller. Os seus olhos se enchem de lágrimas à medida que ele se lembra das palavras profundas do capitão.

Ao levantar os olhos do túmulo, Ryan se vira para sua esposa e pergunta: “Eu consegui? Levei uma boa vida? Fui um bom homem?”  Sua esposa responde: “Sim, você foi.”

Mas, você sabe o que o exatamente o capitão Miller quis dizer na sua última ordem a Ryan? “Faça por merecer isso”?

Muitas vezes, os homens parecem estar ouvindo um chamado e tentam se concentrar nele a fim de orientar suas vidas na direção de significados com um padrão mais alto. Isso porque uma das verdades primordiais da natureza masculina reside no impulso para provar o seu valor contra todas as feridas, dificuldades e desafios.

Quando os homens conseguem atender a esse chamado de forma saudável, vemos grandes realizações e vitórias, seja no seu próprio núcleo familiar ou em escala maior, como fazendo algo grandioso pela sua pátria.

Nosso exemplo mais próximo é o caso do juiz Sérgio Moro, do procurador Deltan Dallagnol, dos guerreiros da Polícia Federal, assim como todos os que participam e apoiam a Operação Lava Jato, incluindo artistas e os homens anônimos da opinião pública que se posicionam corajosamente no combate à corrupção.

São homens que seriam capazes de arriscar suas vidas em uma guerra.

Por outro lado, essa mesma busca de sentido masculino pode ter uma direção equivocada.

Por exemplo, em sociedades dominadas pela falta de uma pátria, pela falta de oportunidades econômicas ou opressão social, a sensação inerente aos homens de ausência de sentido é amplificada.  Nessas populações, eles são incentivados a buscarem sentido por caminhos errados. Como no caso do fundamentalismo islâmico, em que se dedicarão a ganhar sentido através de “grandes objetivos” como se tornar homens bomba suicidas. O chamado deles, ou seja, o caminho pelo qual ganham valor no mundo, se torna o auto aniquilamento.

E o que acontece com os corruptos? Talvez algo parecido com o caso acima. Dedicam-se a buscar sentido por vias equivocadas.

Eles criam valor, poder e significado para sua vida por meio do desafio de burlar a justiça, a lei. E como você pode concluir, esses homens são, na verdade, muito fracos. Pois não há honra, nem dignidade no caminho que escolheram. Eles se forçam a demonstrar potência e a adquirir e usar o poder social e hierárquico para conseguir uma espécie de valor próprio às avessas, ou seja, mesmo que isso os leve para trás das grades ou sejam expostos à execração pública.

Por isso, é crucial que a nossa sociedade apoie os homens realmente fortes, os que estão no caminho certo, os que são capazes de reconstruir o nosso país.

Os homens sentem que precisam perseguir um chamado. Portanto, se há uma boa forma de apoiarmos essa busca é mostrando que a sua força está na luta pelo bem contra o mal. Pela justiça contra a injustiça. Pela verdade contra a mentira.

Se para os nossos ancestrais, o campo de prova do poder pessoal dos homens era a caça, hoje, pode ser lutar pela ética.

Precisamos de homens que façam por merecer.

*Elisa Robson é jornalista.

(Quem quiser se aprofundar sobre o tema masculinidade, sugiro a leitura do  livro What Could He Be Thinking, de Michael Gurian.)

Advertisements
Anúncios

2 comments

  1. Parabéns ..Elisa Robison ,pela observaçao do carater dos que buscam nas leis o bem da Patria , e daqueles sem carater no topo do poder apenas acobertando uns aos outros ,,,,grato

Deixe uma resposta