Odebrecht não depositava propina nos EUA: “Fiscalização era rígida”, afirmou ex-executivo

Screenshot_2017-03-24-14-12-44.jpg

O ex-executivo Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho, apontado como o líder do Departamento da Propina da Odebrecht, em depoimento ao TSE, disse que a empreiteira depositava suborno no exterior em offshores, exceto nos Estados Unidos, por medo da fiscalização das autoridades americanas:

“Decidimos que não faríamos o pagamento a ninguém daquele país, porque era um país complicadíssimo, iria interferir nos assuntos e nós não queríamos a interferência dos Estados Unidos nesses assuntos.

Além da fiscalização rígida, eles se envolvem profundamente, quando descobrem que houve circulação de moeda no país deles, independente de a prestação de serviço ter sido de fora”, afirmou o Hilberto Filho

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s