“O autor do grampo está livre e solto passeando em Nova York”, rebate Temer

Posted by

Screenshot_2017-05-20-17-34-19.jpg

O presidente Michel Temer (PMDB) atacou duramente neste sábado, em pronunciamento oficial na TV, as acusações feitas pelo empresário Joesley Batista, da JBS, desqualificou a conversa gravada pelo empresário em reunião com ele no Palácio do Jaburu, afirmou que vai pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) o arquivamento do inquérito contra ele e reafirmou que vai continuar no cargo.

Em fala de pouco mais de 12 minutos, ele citou evidências de que o áudio da reunião dele com Joesley teve mais de 50 edições. “Essa gravação clandestina foi manipulada e adulterada com objetivos nitidamente subterrâneos e, incluído no inquérito sem a devida e adequada averiguação, levou muitas pessoas ao engano induzido e trouxe grave crise ao Brasil”, afirmou em pronunciamento no Palácio do Planalto.

Ele disse que, em razão das dúvidas sobre a autenticidade das gravações, ele vai entrar com um pedido no STF para arquivamento do inquérito aberto contra ele pelo ministro Edson Fachin após pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que viu evidências de três crimes por Temer: obstrução da Justiça, corrupção passiva e organização criminosa. “Por isso, no dia de hoje, estamos entrando com petição no colendo STF para suspender o inquérito proposto até que seja verificada em definitivo a autenticidade da gravação clandestina”, disse.

No pronunciamento, ele também criticou fortemente Joesley. “O autor do grampo está livre e solto passeando pelas ruas de Nova York”, disse. “Não passou nem um dia na cadeia, não foi preso, não foi julgado e não foi punido. E, pelo jeito, não será”, disse. Ele também atacou o empresário por ter comprado grande quantidade de dólares às vésperas da divulgação de sua delação. “Ele especulou contra a moeda nacional”, afirmou.

Advertisements
Anúncios

3 comments

  1. Estamos mal de substituto, cada um pior do o outro, o que fazer?
    Mas, que o Temer, precisa sair na tenho dúvida.

  2. Uma pena que no Brasil políticos patriotas que amem mais sua pátria do que as suas vaidades estejam praticamente quase em extinção!
    Um presidente encontrar com um “golpista sabidamente criminoso” sem uma agenda oficial e testemunhas não é uma atitude republicana de um verdadeiro estadista.
    Mas vamos reconhecer que não se esperava que ele fosse esse primor, porque foi a bola da vez para tirar aquela maluca comunista do comando do país, antes do afundamento final, já que fazia parte da miséria que ocorria antes.
    Todavia, colocá-lo para fora e dar andamento ao projeto nojento da esquerda, que já estava com um pedido de impeachment na pasta, antes da bomba estourar, se torna um suicídio coletivo.
    Que prevaleça o bom senso e o que é melhor para o país, para que as víboras que assaltaram os cofres da Nação não voltem com mais gula ainda!

Deixe uma resposta