Delegada Érika, que batizou a maior operação de combate à corrupção de “Lava Jato”, retorna para força-tarefa de Curitiba

eri

 

A delegada da Polícia Federal Érika Mialik Marena deve voltar a integrar a força-tarefa da Lava Jato.  No final de 2016, ela havia deixado a operação para chefiar a área de combate à corrupção e desvios de verbas públicas da Superintendência da Polícia Federal, em Santa Catarina.

Agora, seu retorno está sendo muito festejado em Curitiba.

Natural de Apucarana, no norte do Paraná, ela ingressou na corporação em 2003 no cargo de delegada. Além de Curitiba, também atuou em São Paulo, na Delegacia de Crimes Financeiros (Delefin).

Ano passado, Érika avaliou que os chamados “criminosos de colarinho branco” se sentem “protegidos pelo sistema” e defendeu o fim do foro privilegiado. “O corrupto conta com essa demora, com a prescrição dos casos, coloca esse fator na conta do custo-benefício do crime”, disse ela.

Ela também ficou conhecida entre policiais e delegados como a “mãe” das investigações, pois foi a responsável por associar, em conjunto com seu colega da polícia, Márcio Anselmo, o caso do doleiro Alberto Yousseff ao escândalo de corrupção na empresa Petrobras. Foi ela quem batizou a operação de “Lava Jato”.

A delegada acredita que a operação deveria estar em todos os estados brasileiros: “A integração e o trabalho de equipe observados no grupo Lava Jato me fizeram acreditar que uma Polícia Federal diferente é possível, assim como a reprodução desse modelo de trabalho em outros Estados da Federação”.

Érica foi interpretada pela atriz Flávia Alessandra no filme “Polícia Federal – A lei é para todos”, um thriller baseado em fatos reais, que estreou no último 7 de setembro.

Participe da discussão

3 comentários

  1. CANSEI…BASTAAAA!!! EU VOU AS RUAS PEDIR INTERVENÇÃO>>>PORQUE É A ÚNICA SOLUÇÃO!! >>QUERO MEU BRASIL LIBERTO, DE TODAS LEIS INSANAS E CRIMINOSAS,QUE ESTES PARTIDOS FIZERAM A PARTIR DOS GOVERNOS SOCIALISTAS DE FHC,INTITULADAS DE CONSTITUIÇÃO FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988, ONDE FHC USANDO A DEMOCRACIA, DEU O MAIOR GOLPE NO BRASIL, INDO DIRETO CONTRA AS DEFESAS DA NAÇÃO,QUE É O NOSSO EXERCITO. FHC QUERIA MAIS FACILIDADE DE CORROMPER RUDO,SEM SER IMPEDIDO! ASSINANDO AS LEIS DE NÃO INTERVENÇÃO E A DE RETORNAREM AO BRASIL TODOS EX-PRESOS ,EXILADOS ,PARA SEREM INDENIZADOS E RECEBEREM CARGOS NOS GOVERNOS, ASSINANDO SEUS FORO PRIVILEGIADOS ,DE QUE ESTANDO EXERCENDO ALGUM CARGO NÃO DEVEM SER PRESOS! EIS A RAZÃO DESTES VELHOTES MORREREM NA POLITICA PULANDO DE CARGO EM CARGO,COMO O TRAIDOR FHC QUE VOLTOU COMO SENADOR. MAS..QUE NA INTERVENÇÃO MILITAR VAI SER UMA GRANDE FAXINA E TODOS EM PESO,SERÃO EXTERMINADOS PARA SEMPRE DO PODER! A INTERVENÇÃO JÁ ESTA ACONTECENDO EM BRANCO E VOCES DORMINDO..CUIDADO PARA NÃO CAIR DA CAMA! NOSSO EXERCITO ESTA CONOSCO E NÃO DEPENDE DE COMANDANTE E SIM DO POVO QUE OS APOIAM!!! PARA QUE SERVE ISTO??? DO POVO EMANA PODER??? OS PARTIDOS USARAM ESTE TEMA…MAS AGORA O POVO APOIA SOMENTE AS FFAA! PORQUE ELAS SIM..SÃO A ÚNICA SOLUÇÃO AO LADO DE DEUS! ENTÃO…..PARTIDOS PODRES NUNCA MAAAAIIISS!!!!

  2. Parabéns a delegada Érica temos que desmascarar esses políticos corruptos. Assisti o filme muito bom amei quero assistir a continuação pois creio que ainda te muita sujeito debaixo do tapete.

  3. Caríssima Hermínia, você volta suas armas contra o único governo da chamada era democrática, que deixou benefícios sustentáveis à nossa nação. Foi ótimo? Não, mas se compararmos com o demais foi, longe, o melhor. Esse negócio de atribuir ao FHC tudo de ruim que ocorreu no Brasil foi o discurso do maior crápula de todos os tempos. e você mostra que está muito mais sensível a discursos que aos fatos, e isso, infelizmente é interpretado como baixo nível de inteligência emocional.
    A apologia que você faz das FFAA, é uma opção de quem já se desencantou com nossos políticos, mas, vale lembrar, que a atitude dos respectivos comandantes tem sido de franca omissão, o que os torna completamente inúteis como solução para o momento atual. A esquerda já descobriu a fórmula para neutralizar as FFAA, e é a mesma adotada na Venezuela. Se chama suborno.

Deixe um comentário
%d blogueiros gostam disto: