Lula perde seu advogado

 

img_3859

José Roberto Batochio advogava para Lula e Antonio Palocci.

Quando Palocci resolveu fazer um acordo com a Lava Jato, ele abandonou sua defesa.

Agora ele abandonou também a defesa de Lula em todos os processos envolvendo Palocci.

Ele disse para a Folha de S. Paulo:

“Não posso, por razões éticas, estar em casos em que ambos sejam acionados e se encontrem em posições antagônicas. Fui defensor do Palocci por uma década. Nessa condição, recebi dele confidências personalíssimas. Não posso atacar alguém que já foi meu cliente.”

Batochio sabe que, nesse caso, Antonio Palocci não mente.

Participe da discussão

2 comentários

  1. Ainda bem que a ética falou mais alto. Realmente se ele era advogado de ambos, ficaria um desconforto defender um ficando contra o outro.

    1. Pode ser até que haja aí uma questão de Ética. Porém, pode ser que o profissional do Direito tenha se conscientizado de que ambos os seus clientes sejam indefensáveis, ou seja, ele iria gastar mais velas (tempo e neurônios) com defuntos ruins (politiqueiros em avançado estado de decomposição moral).

Deixe um comentário
%d blogueiros gostam disto: