Lula na República de Curitiba vai mobilizar mil policiais militares

lil 2

Cerca de mil policiais militares foram destacados para o esquema de segurança do novo depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz Sergio Moro, marcado para a tarde de quarta-feira, em Curitiba, segundo a Secretaria de Segurança Pública do Paraná. A quantidade de agentes representa um terço do que foi disponibilizado para o primeiro interrogatório, em maio deste ano, que utilizou cerca de 3 mil policiais. Como justificativa para a redução, a Secretaria alegou que a cidade utilizará um planejamento similar com “dimensões reduzidas” em relação ao depoimento anterior.

A área no entorno do prédio da Justiça Federal será isolada pela Polícia Militar. O efetivo, que contará ainda com representantes da Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Departamento de Inteligência do Estado do Paraná (Diep), Guarda Municipal, Polícias Rodoviária Estadual e Federal, Polícia Federal, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), entre outras.

“Esquema muito parecido, porém um pouco menor. Considerando informações repassadas a nós, virão menos pessoas”, explicou o secretário estadual da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Wagner Mesquita, ao comparar os dois eventos.

Sobre os apoiadores do ex-presidente Lula, o secretário explicou que eles vão se concentrar na praça Generoso Marques, no Centro de Curitiba. Enquanto que os pró-Lava Jato ficarão nas proximidades do Museu Oscar Niemeyer, no bairro Centro Cívico.

A Frente Brasil Popular, que mobilizou um ato com quase 10 mil pessoas – com direito a acampamento – em favor de Lula após a audiência de maio, já organiza novas caravanas, mas a adesão nas redes sociais tem sido menor. Já os grupos pró-Lava Jato, que fizeram um tímido evento na primeira ocasião, ainda não têm grandes eventos agendados.

São esperados cerca de 5 mil manifestantes e a chegada de 50 ônibus. Os veículos serão estacionados próximos ao Estádio do Paraná Clube, para não atrapalhar o trânsito e facilitar o deslocamento dos manifestantes – que serão escoltados pela Polícia Militar. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), até a tarde desta segunda-feira (11), apenas um ônibus havia pedido autorização para a Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) para se deslocar da cidade de Teresina para Curitiba.

O trabalho policial começa no acesso à capital paranaense. “Não abrimos mão da fiscalização nas estradas. Pedimos para que os ônibus venham com a documentação em dia e em bom estado e que as pessoas não tragam nenhum material que não seja condizente com uma manifestação democrática. Da outra vez nós apreendemos foices e facas”, ressaltou o secretário.Bloqueio de ruas

O bloqueio da região da Justiça Federal, no bairro Ahú, terá início às 6 horas com agentes de trânsito e policiais para fazerem o desvio e um segundo bloqueio começará às 12 horas, mais próximo ao prédio da Justiça Federal no qual ninguém terá acesso sem credenciamento. O depoimento do ex-presidente Lula está marcado para as 14h.

Condenado no caso triplex

Moro já condenou Lula em um processo na Operação Lava Jato – o chamado caso triplex. Em 12 de julho, o ex-presidente foi sentenciado a nove anos e seis meses de prisão por envolvimento em um esquema de corrupção ligado a três contratos entre a empreiteira OAS e a Petrobras.

O petista, segundo a Justiça, foi beneficiado com um apartamento tríplex no Guarujá, São Paulo. A defesa do petista nega os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, pelos quais se fundamentou a condenação. Os advogados recorreram e Lula aguarda que o Tribunal Regional Federal da 4ª região, a segunda instância, decida sobre o caso.

Próximo depoimento

Em agosto, Moro aceitou, pela terceira vez, uma denúncia contra o ex-presidente Lava Jato. Com isso, é possível que Lula volte à capital no primeiro semestre do próximo ano para depor na ação penal referente a um esquema de corrupção envolvendo um sítio em Atibaia (SP), que seria uma vantagem indevida paga a Lula.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: