Veja onde Lula está hospedado enquanto aguarda para encontrar com Moro

Fr Roch

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) do Paraná informou na manhã desta quarta-feira (13) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva veio a Curitiba de carro, dispensando escolta policial. A PRF recebeu a informação de que Lula chegou à capital paranaense por volta da meia-noite dessa terça-feira (12). Neste momento, ele está no escritório de advocacia França da Rocha, na rua Rua Estados Unidos, 2452, aguardando até o momento em que deve prestar seu depoimento, segundo fontes ouvidas pela República de Curitiba BR.

O interrogatório está marcado para as 14h desta quarta-feira (13). O depoimento acontece na sede da Justiça Federal em Curitiba, de onde o juiz Sérgio Moro conduz os processos.

“Por volta da meia-noite, a PRF recebeu a informação de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva havia chegado bem em Curitiba, por via terrestre. Ele viajou em um carro de passeio e dispensou a escolta policial que foi oferecida”, informou a PRF em nota.

No primeiro depoimento em processo da Lava Jato em Curitiba, Lula falou por cerca de cinco horas. No interrogatório desta quarta-feira (13) serão usadas duas câmeras de filmagem – uma voltada para Lula e outra, lateral, que capta imagem de toda a sala de audiência. A Justiça Federal vai manter o expediente, ao contrário do que ocorreu no primeiro interrogatório, em maio.

O acesso será controlado por agentes de segurança e não haverá necessidade de credenciamento prévio para entrada no prédio. O bloqueio do primeiro perímetro será feito a partir das 6h30.

O segundo, mais próximo ao prédio da Justiça Federal, a partir do meio-dia. O aparato montado para o segundo interrogatório do ex-presidente Lula em Curitiba será menor do que o mobilizado para o primeiro. Mesmo assim, a previsão é de que 1.000 policiais militares trabalhem na operação.

Interrogatório

Lula será ouvido pela acusação de ter recebido, da empreiteira Odebrecht, um terreno de R$ 12,4 milhões destinado a ser a nova sede do Instituto Lula – mudança que acabou não saindo do papel – e mais um apartamento de R$ 504 mil em São Bernardo do Campo.

Além dele, Branislav Kontic também será ouvido – ele é ex-assessor do ex-ministro Antonio Palocci, que, na semana passada, fez novas acusações contra Lula em depoimento na mesma ação penal.

Também são réus nesta ação Marcelo Odebrecht, ex-presidente da Odebrecht, Paulo Melo, ex-diretor da Odebrecht, Demerval Gusmão, proprietário da DAG Construtora, e Glaucos da Costamarques, dono do apartamento vizinho ao do ex-presidente Lula. Todos já foram interrogados.

Outro réu, Roberto Teixeira, amigo e advogado de Lula, será o último a ser ouvido, no dia 20 de setembro. Ele seria interrogado na semana passada, mas a defesa pediu o adiamento por causa de problemas de saúde. Moro remarcou o depoimento de Teixeira para o dia 20 de setembro.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: