Delator da JBS foi expulso de casa após gravação com Joesley

Em depoimento, Saud diz que a gravação com Joesley foi acidental e o levou a um entrevero familiar

Preso por ordem do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), por suspeitas de ter omitido provas e atuado em parceria com o ex-procurador Marcello Miller na delação premiada da JBS, o diretor de Relações Institucionais da empresa Ricardo Saud foi expulso de casa pela esposa assim que foi descoberto que ele protagonizou, ao lado de Joesley Batista, um controverso áudio em que fala como se aproximar do procurador-geral  Rodrigo Janot, gravar ministros do STF e se beneficiar de um suposto jogo duplo de Miller. Os áudios foram revelados com exclusividade por VEJA.

Embora, ao longo de quatro horas de conversa, Saud e Joesley ironizem políticos e insinuem que têm mais provas a serem reveladas, um ponto específico do diálogo entre os dois deve ter sido o estopim para o entrevero familiar do diretor da JBS. A certa altura, os dois debatem, sem pudores, sobre mulheres, encontros, carros e, em tom de bravata, sobre a vida privada de autoridades.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: