Lula pegou um ótimo atalho para sua segunda condenação

Screenshot_2017-09-14-07-57-58.jpg

Por Claudia Wild*

Equivocada a comemoração prematura dos partidários e apoiadores do ex-presidente Lula acerca do seu desastroso segundo depoimento que foi prestado na República de Curitiba.

Através da análise das inúmeras provas documentais divulgadas pela imprensa, pelos depoimentos aterradores dos delatores petistas, empresários camaradas e perícias, posso – através da minha experiência profissional – afirmar que o acusado Lula não escolheu a melhor estratégia para se defender das acusações robustas apresentadas na denúncia do Ministério Público.

Lula é acusado de ter recebido consideráveis propinas da empreiteira Oderbrecht para a compra de um terreno onde futuramente seria edificado a sede do Instituto Lula e ainda aaquisição fraudulenta de um apartamento em São Bernardo do Campo.

Visivelmente nervoso e irritado, o famoso depoente fez novamente do banco dos réus seu palanque eleitoral. Lá entoou a mesma cantilena que é repassada por sua entusiasmada militância: a do homem honesto e sistematicamente perseguido pela justiça, inimigos políticos e imprensa.

Mais uma vez Lula tentou ilidir a demanda criminal “no grito“ . Foi destemperado, arrogante, cínico e demonstrou não respeitar a justiça brasileira.

Foi impertinente, atrevido com o juiz Sérgio Moro – chegando a indagar sobre sua imparcialidade no julgamento de seus processos. Lula mostrou-se debochado com a procuradora federal do caso, a quem chamava reiteradamente de “querida”. Demonstrou um comportamento instável, que ora parecia estar discursando em sua fracassada caravana, ora confraternizava em um churrasco movido a bravatas e goles etílicos e ora estava sentado em seu trono e esbravejava rodeado de súditos e capachos.

Lula se esqueceu que ali não era candidato a nada, mas sim um réu qualquer. Lula deveria ter se preocupado apenas em desmontar as provas existentes, exibindo cabalmente que não recebeu propinas da empreiteira e não escamoteou a compra de imóveis para burlar a lei e a justiça.

Seu advogado adotou uma postura inconveniente e pedante; atravessava com inserções descabidas em quase todas as perguntas dirigidas a seu cliente, citava convenções e arranjos – como se a justiça ali estivesse a praticar uma arbitrariedade ou um ilícito, quando na verdade era uma mera formalidade legal: o depoimento de um acusado.

Confrontado sobre as provas constantes dos autos, Lula mais uma vez foi inábil e confundiu os papéis a encenar. Acusou a Polícia Federal de ter forjado as provas documentais que foram apreendidas em seu apartamento; acusou seus delatores e ex-amigos chamando-lhes de “mentirosos e fantasiosos”; negou todo o depoimento de seu ex-companheiro petista, Antônio Palocci, a quem atribuiu “frieza e desfaçatez“; ridicularizou o precioso depoimento de Carlos Bumlai, bem como disse não ter conhecimento das tramoias articuladas por seus supostos prepostos na empreitada criminosa.

Instado a indicar provas documentais demonstrando que o apartamento adquirido por um conhecido – que segundo a denúncia seria um laranja seu – limitou-se, arrogantemente, a dizer não iria fazê-lo, pois “não tinha nada a ver com isso e que se o Ministério Público quisesse deveria providenciar tais provas”.

Enfim, um desastre gigantesco que poderá providenciar sua segunda condenação criminal – caso as provas hábeis a revelar sua inocência não apareçam rapidamente nos autos. Lula e sua anêmica defesa adotaram a descabida tática em que o ataque é a melhor defesa. Por isso, atacam o juízo, a Polícia Federal e os ex-companheiros ( hoje delatores) e se esquecem da PROVA, esta sim, a única que poderia ser capaz de inocentá-lo.

Lula ainda não conseguiu entender que a justiça criminal não é palco de teatro arrendado para apresentação política e de público cativo. Lula não percebeu que diante de provas documentais, periciais e depoimentos, os discursos políticos são inócuos.

Lula não perde sua empáfia e aparenta viver em outra realidade. Ele não é mais o poderoso capo de tutti capi. Ele não enxerga que não passa de um réu e um réu em sérios apuros.

* Claudia Wild é colunista da página República de Curitiba BR

Participe da discussão

25 comentários

  1. Sra.Claudia Wild

    Muito bem elaborado seu comentario. Lastimo que e publicado para pequenos grupos ( acesso republica de Curitiba)
    Concordo plenamente com o texto ( sua maneira de expressar).
    A Sra. so esqueceu de um detalhe o maior sonho de Lula de ir para a ONU. Por este motivo as propinas para Países Latinos mais Africa. Nunca daria certo pois Fischer e Sarkosi impediram. E o fizeram muito bem.
    A Justica brasileira pode ter tido seus enrolos ( alguns desses rolos ainda andan por Brasilia). Mas hoje este pessoal novo serve de exemplo para muitos Países e teses de Doutorado. ( especialmente o trabalho da Policia Federal, Procuradoes e Juízes ). Quanto a pessoa citada no seu artigo. Faz parte da democracia certos personagens. O importante e sabermos lidar ( agir)com elas . Não duvido da capacidade deste pessoal novo e sem compromissos obscuros. De tomarem as decisões certas e corretas.
    Este pessoal merece todo RESPEITO e um MUITO OBRIGADO ( gratidão) pelo que estão fazendo pelo povo Brasileiro. e futuras gerações.

    Sou a favor do Filosofo Jason Brennan que escreveu o Livro Contra Democracia. Fica claro que certo personagen ( como o do texto) nao teria qualquer chance Politica.

    Neusa Maria Mott Rothe
    Ladenburg
    Baden- Württemberg

    1. Vamos compartilhar , assim mais pessoas terão acesso e manterão a esperança de ver esse Senhor no lugar certo. Parabens Claudia Wild, Neusa Maria e eterna gratidão a esses ilustres personagens da nossa justiça. DEUS OS PROTEJA.

  2. Excelente comentário, de fato, ele não tem o que falar em sua defesa, sabe que está todo comprometido com os fatos e achou que atacando intimidaria a justiça…todos o queremos o mais rápido possível PRESO, aí sim, começaríamos a botar ordem e progresso em nosso querido Brasil.

  3. Só na cadeia esse vagabundo tem chance de se posicionar, novamente, no corpo da sua insignificante pessoa. Cadeia nele!!!!

  4. O problema é que de acordo com essa justiça anêmica desse país você pode condenar esse verme o quanto quiser, vai ficar em tramite indefinidamente em segunda e sei la quantas instancias, ai você adiciona as infindáveis brechas para se pedir recursos e por ai vai, esse lixo vai morrer de causas naturais antes de ir para a cadeia… e ainda é possível que ganhe a eleição ano que vem.. preparem-se….

  5. Excelente! Só discordo da obrigação do réu de provar que Não praticou os crimes. Concordo com o reu quando disse que a obrigação cabe ao MP, de provar a materialidade e a autoria dos crimes imputados pela acusação!

  6. Ele continua não passando de um torneiro peão de fábrica que se encostou num sindicato vagabundo do ABC , enganando a peãozada ignara que babava por este elemento nocivo !! Morreu e não sabe !!!

    1. MARAVILHOSO TEXTO DEFINIDOR EM TODOS OS SENTIDOS E ASPECTOS DE UM MOMENTO QUE LAVA A ALMA DA JURISPRUDÊNCIA BRASILEIRA, RECUPERA O ALTO ESTIMA DO PAÍS E ENQUADRA ESPETACULARMENTE UM INSANO- PATETICAMENTE MENTIROSO- INESCRUPULOSAMENTE CRETINO E IGNORANTE…(com certeza, a sentença será a maior possível)

  7. Incrível como um criminoso pode gritar diante de autoridades, vociferou e babou como ele costuma fazer, posa de vítima ou de animal raivoso, tudo depende da ocasião ou do freguês.

  8. O texto está impecável. Eu só acrescentaria a parte do aluguel do imóvel que só tem recibo de uns tempos pra cá e que ele não soube explicar e mais uma vez era com Marisa Letícia. Será que esta, se viva estivesse, estaria tomando pra si o que lhe tem atribuído seu “fiel” marido?

  9. É terá qê apresentar provas dos dois lados falam e falam e as provas ñ aparecem , enquanto esta esse barulho tdo estão se esquecendo do Temer qê está aproveitando e se esquivando de um belo processo tbm olhem mais para os do PMDB e mais outros partidos com as provas todas verdadeiras , filmadas escritas e gravadas e ninguém fala nada . Vamos ver no qê vai dar isso tdo ou cometemos mta pitizza

    1. Eliza M Ferreira, desculpe, mas, o fato aqui diz respeito ao depoimento. Todos os denunciados, por certo serão julgados por crime lhe atribuído. Não há, portanto, que se comparar. Ah. As provas condenatórias estão nos autos, pois não se trata de rito sumário. E onde estão as que o inocentaria? Nem os recibos do aluguel o depoente tem conhecimento! Jogou todo o precedimento à falecida. Coitada!

  10. Não tenho muito o que falar a respeito deste homem que se esquece em que cadeira está sentando agora é continua o mesmo medíocre e debochado de sempre.Eu no lugar desse juiz já teria dado uma voz de prisão à ele na mesma hora em que uma tão debochada faltando-lhe completamente com o respeito.

  11. A mentira está tão grande, que fica impossível de ser mantida. Ele está sentindo a corda apertando cada vez mais.

  12. o rei da lábia não tem como contestar as provas, se tivesse, ja teriam feito, só restou-lhe a coisa pela qual ele sobreviveu ate hoje, a bravata intimidatória, alem, é claro do apelo emotivo-barato do jantar com as netas e bisnetas. Patético

  13. Magnífica exposição das impropriedades do arrogante réu. Canhestramente, exige respeito e chama as autoridades de vocês. O facínora, não têm a menor postura de educação. Seu destempero é fonte do seu desespero, tendo cada vez mais, consciência de sua inexorável condenação. Chora na rampa bandido.

  14. Amei seu estilo e precisão cirúrgica em escrever. Não vejo a hora de ler seu próximo artigo.

Deixe um comentário
%d blogueiros gostam disto: