Wesley tem ensino fundamental incompleto. Advogado se desespera para livrá-lo do Cadeião de Pinheiros

wel

Por Ricardo Alves*

A audiência de custódia ( quando todo preso em flagrante deve ser levado à presença de um juiz, no prazo de 24 horas, para que este avalie a legalidade e necessidade de manutenção da prisão) de Wesley Batista na 6ª Vara Federal de SP arrastou-se por longas horas, em função de um fato inusitado e desconhecido até então. O acusado revelou para surpresa de todos o seu nível de escolaridade: ENSINO FUNDAMENTAL INCOMPLETO, o que impossibilitava sua detenção em cela individual de presídio federal.

Pela norma, Wesley deveria ser encaminhado para uma cela comum no Centro de Detenção Provisória de Pinheiros. Popularmente chamado de “Piranhão” ou Cadeião de Pinheiros, lá os detidos amontoam-se em celas coletivas, para total desespero de seu advogado, Pierpaolo Bottini, contratado pelo acusado, de última hora, por 2 milhões de reais.

Após exaustivas negociações, o juiz da custódia concordou com uma solução temporária, alternativa e negociada. Wesley irá para uma cela da carceragem da Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, no bairro da Lapa. O referido acordo ainda teve de ser aprovado pelo juiz corregedor, pois aquelas celas são provisórias e não possuem banheiro privativo, necessitando de uma reforma para atender ao “ilustre” hóspede.

*Ricardo Alves é editor da página República de Curitiba BR

Participe da discussão

2 comentários

  1. O problema não seria fato dele não ter nivel universitario, mas o fato de que o sistema carcerario que a corrupcao que ele participou assim como todos os servicos publicos que devem funcionar bem para todos os cidadoes esta falido. Entao se prepare, pra tomar uma dose do seu proprio remedio!

Deixe um comentário
%d blogueiros gostam disto: