Após 40 anos no Partido Comunista, Aldo Rebelo foge para o PSB e mira eleições 2018

Screenshot_2017-09-27-11-20-51

O ex-presidente da Câmara e ex-ministro Aldo Rebelo trocou nesta terça-feira (26) o PC do B pelo PSB, com um discurso em que criticou “corporações iluminadas” que pretendem “substituir a política”.

Rebelo assinou a ficha de filiação ao partido socialista depois de militar por 40 anos nas fileiras do PC do B. Ele é apontado como “coringa” para o PSB nas eleições de 2018: pode ser candidato a presidente, vice-presidente ou senador.

Em seu discurso, o ex-ministro dos governos Lula e Dilma Rousseff defendeu a valorização da política tradicional e fez uma crítica ao Ministério Público e ao Judiciário –sem citar as duas instituições.

“Vemos hoje uma tentativa de corporações que se julgam deuses de tentar subtrair da política os destinos da população. Temos que reafirmar a política como único caminho e alternativa. Nenhuma corporação iluminada pode substituir a política”, afirmou em seu discurso.

Rebelo fez ainda uma comparação velada entre o momento atual e as circunstâncias do golpe militar de 1964, em que “corporações públicas tentaram substituir a política”.

General Mourão

Em 2015, Aldo Rebelo, então ministro da Defesa de Dilma, foi o responsável pela exoneração do chefe do Comando Militar do Sul, na época o general Antônio Hamilton Martins Mourão, após ele fazer críticas à presidente em palestra proferida em 17 de setembro, no Rio Grande do Sul. Mourão foi transferido para a Secretaria de Economia e Finanças da pasta, um cargo burocrático em Brasília.

Na palestra, o militar afirmou que a saída da presidente Dilma não mudaria o “status quo”, mas que a “vantagem da mudança seria o descarte da incompetência, da má gestão e da corrupção”. Nos slides da palestra, Mourão apresentou mensagens como “mudar é preciso” e falou em “despertar para a luta patriótica”.

Além disso, o general disse que “a maioria dos políticos de hoje parecem privados de atributos intelectuais próprios e de ideologias, enquanto dominam a técnica de apresentar grandes ilusões”.

 

Lula

Questionado sobre as investigações contra o ex-presidente Lula, Rebelo disse que as acusações são movidas pelo interesse de “afastar o petista da disputa eleitoral”.

Para os dirigentes do PSB, a filiação de Rebelo é um movimento do partido para ampliar suas fileiras e tentar apresentar a sugla como uma alternativa ao PT no campo da esquerda.

“Os dirigentes defendem que o PSB não seja parte do projeto de um outro partido e ele tenha seu projeto e busque a unidade, mas sem subordinação”, disse Rebelo.

Apesar de alguns dirigentes do PSB defenderem o distanciamento entre a sigla e o PT, o ex-ministro afirmou que é preciso manter o diálogo com os petistas. “A unidade ampla pressupõe diálogo com todos, sem uma atitude de subordinação ou de reboque aos objetivos de outras legendas”, disse Rebelo.

Participe da discussão

2 comentários

  1. Como já disse em outra oportunidade, porco que muda de chiqueiro, continua porco. Não vira vaca.

  2. Essa esquerdalha não tem caráter, por que não mudaria de galinheiro para disputar eleições?
    Os que se acham “iluminados” são os políticos, e quando a política fica suja, como a praticada por Aldo Rebelo, tem que ser substituída sim.
    #Gal.Mourãoneles!!!

Deixe um comentário
%d blogueiros gostam disto: