Funaro revela “equipe” de Temer em depoimento à Procuradoria-Geral da República

Publicado por

Quando explodiu o conteúdo da delação de Claudio Melo Filho, ex-executivo da Odebrecht, ainda no ano passado, apareceu o nome de José Yunes, amigo de Michel Temer e então assessor especial da Presidência da República. Segundo Melo Filho, parte do dinheiro que teria sido pedido por Temer a Marcelo Odebrecht para a campanha do PMDB em 2014 teria sido entregue diretamente a Yunes – que deixou o cargo no governo após a divulgação da delação. Mas, segundo Lúcio Funaro, Michel Temer não concentrava as negociações em uma única pessoa de confiança. Além de Yunes, Temer teria outros operadores que intermediariam pagamentos. Funaro diz ter certeza absoluta da participação do ex-deputado Eduardo Cunha e de Wager Rossi, que foi ministro da Agricultura nos governos Lula e Dilma, mas também citou João Baptista Lima Filho, coronel aposentado da PM de São Paulo, e o ex-deputado paranaense Rodrigo Rocha Loures, flagrado recebendo da JBS uma mala com dinheiro que seria destinado a Temer.

Curta República de Curitiba
Anúncios