Parlamentares convidam Moro e Gilmar Mendes para a CPMI da JBS

Moro gilm

 

A CPMI da JBS (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da JBS) aprovou requerimentos para convidar o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, o juiz da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba, Sérgio Moro, e o procurador da República do Ministério Público Federal do Paraná, Deltan Dallagnol.

A CPMI também aprovou o convite do presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, e do ex-juiz e idealizador da Lei da Ficha Limpa, Marlon Reis. Ainda não há data prevista para serem ouvidos.

Os convites foram aprovados na mesma sessão em que foi trazido para depor o ex-executivo do Grupo J&F Ricardo Saud, que firmou acordo de colaboração premiada com o Ministério Público Federal, homologado pelo Supremo em maio, mas atualmente encontra-se com o acordo suspenso. Saud preferiu ficar calado argumentando que só falará quando tiver seus direitos restabelecidos.

Enquanto discutiam os nomes de Moro, Dallagnol e Mendes, foram citados os nomes da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal. Um parlamentar, no entanto, falou que trazer Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso ao mesmo tempo poderia não ser uma boa ideia, depois de eles terem discutido em sessão do plenário do Supremo na semana passada.

Ao menos oito dos 34 deputados e senadores titulares nomeados para a CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) da JBS receberam recursos da empresa como doação de campanha nas eleições de 2014.

Lula e Dilma

Em agosto deste ano, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu  retirar do juiz Sérgio Moro, que conduz a Operação Lava Jato no Paraná, os depoimentos prestados por executivos da JBS envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega.
Com a decisão, as informações prestadas nas delações premiadas do dono da empresa, Joesley Batista, e de um dos diretores, Ricardo Saud, ficaram com a Justiça Federal de Brasília, com o juiz federal Ricardo Leite.
Na colaboração, delatores narraram depósitos de US$ 150 milhões em favor de Lula e da ex-presidente Dilma Rousseff em contas no exterior, em troca de aportes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a empresa, intermediados por Mantega.

Anúncios

1 comentário

  1. Caramba !!!!! como é difícil entender o português no Brasil. Ladrão, é LADRÃO, corrupto É CORRUPTO!!!! Esse Gilmar Tem de esta na CADEIA. Corrupto safadoooooo!!!!!! Os parlamentares estão a fim de criar problema entre moro e o STF ,para eliminar os processos da lava jato do Juiz Sérgio Moro, pois a maioria receberam $$$$$$ da JBS

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s