Uber sobrevive ao golpe do atraso socialista

ube

 

Por Claudia Wild*

Os aplicativos de locomoção sobreviveram ao golpe do atraso socialista brasileiro.

Obviamente, seria infinitamente melhor tomar conhecimento sobre a rejeição total ao Projeto de Lei 28/17, que tem como objetivo inviabilizar completamente o uso do Uber e afins, no Brasil. Obviamente, isso também não ocorreria, já que no nosso glorioso Senado Federal a regra é o atraso da mentalidade socialista. E dela o rígido controle estatal de todos os setores nacionais.

Entretanto, dos males o menor. Temos mais a comemorar do que a lamentar. O PL 28 foi aprovado com alterações e rejeições importantes.As matérias mais polêmicas e que acabariam com os aplicativos de locomoção foram retiradas do projeto. Eram elas: a exigência da placa vermelha para os aplicativos; a exigência do Certificado do Registro e Licenciamento do Veículo em nome do motorista; a exigência das permissões específicas emitidas pelas prefeituras.

Resumindo: a máfia do atraso votou, mas não ganhou. A esdrúxula legislação seguirá para apreciação e votação na Câmara Federal, e lá deverá ser novamente reavaliada. O socialista autor da excrescência legal – o deputado petista Carlos Zarattini – já promete derrubar as alterações, para que o projeto inviabilize esse relevante serviço à disposição do consumidor brasileiro. Fiel ao estilo venezuelo-cubano de democracia e economia, o socialista prometeu que no Brasil “não prevalecerá o interesse das multinacionais” – como se o maior beneficiário dos aplicativos não fosse o próprio brasileiro! É o velho discurso feito em nome do povo, para que este povo viva na miséria e permanentemente controlado pelo Estado.

Nossa pressão precisa ser contínua e vamos acompanhar de perto a evolução de mais essa presepada contra a ínfima economia de livre mercado no Brasil. A vitória foi parcial e pode ser comprovada nas declarações oficiais emitidas pelas empresas interessadas na manutenção dos aplicativos no país.

Vejam o que disseram os representantes do Uber: “O Senado Federal ouviu as vozes dos mais de 500 mil motoristas parceiros e dos 17 milhões de usuários do Uber, retirando do texto PLC 28/2017 muitas das burocracias desnecessárias propostas, como a exigência de placas vermelhas. O texto segue agora para a Câmara dos Deputados, onde será debatido nas próximas semanas. A Uber agradece a todos que se envolveram no debate para a construção do futuro da mobilidade nas cidades brasileiras.”

As empresas Cabify e a 99 POP também se mostraram satisfeitas com o desfecho. Chorosos e insatisfeitos estão apenas os representantes da máfia dos táxis, os parlamentares do PT, PSOL, Pc do B, Lindbergh Farias, Roberto Requião e o resto da caterva. Aqueles que curtem e louvam de paixão o estrondoso fracasso de Cuba e Venezuela. As mesmas figurinhas de sempre que odeiam a ideia de um Brasil próspero e desprezam os brasileiros. Teremos eleições no próximo ano e nos lembraremos de cada um dos votantes. No que depender de grande parte dos brasileiros, vai ter Uber sim! E fascistas atrasados de mentalidade cubana, estes “no pasarán”.

*Claudia Wild é colunista da página República de Curitiba BR

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s