UFSC proíbe exposição sobre vítimas do comunismo. Regime dizimou mais de 100 milhões pessoas

Comunismo

O vereador Bruno Souza (PSB) de Florianópolis denunciou hoje (6) que a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) censurou a exposição “Semana Vítimas do Comunismo: 100 Anos da Pior Tragédia do Século XX”, prevista para acontecer na universidade entre os dias 6 e 10 de novembro. Além de palestras, estava programada a exibição de fotos sobre a “Memória das Vítimas do Comunismo e Holomodor” e a apresentação dos relatos do ‘The Witness Project”.

Apoiada pela Fundação Vítimas do Comunismo (Victims of Communism Memorial Foundation) pelo Instituto Mises Brasil, a Semana faria a divulgação da história e legado sobre o comunismo. O evento tinha 300 participantes inscritos e dez renomados palestrantes:

-Valerii Hryhorash (Cônsul da Ucrânia no Brasil)
-Hélio Beltrão (Presidente do Instituto Mises Brasil)
-Renata Ramos (Doutora em Direito pela UFSC)
-Fábio Barbieri (Doutor em Economia pela USP)
-Raphael Lima (Canal Ideias Radicais)
-Anselmo Heidrich (Autor de “Não culpe o capitalismo)
-Cristofer Correia (Coordenador de Governo do Vontad Popular, Venezuela)
-Gabriel Cesar de Andrade (Vice presidente do IFL-SC)
-Ivanildo Terceiro (Diretor de comunicação do SFLB)
-Daniel Arturo Lezama (Coordenador SFL Venezuela)

 

Segundo Bruno, o evento foi cancelado sem maiores explicações por decisão da diretoria do Centro Socioeconômico (CSE) da UFSC, apesar de ter sido solicitado e autorizado com mais de um mês de antecedência, e ter quase 300 pessoas inscritas.

Veja a denúncia feita pelo vereador em sua página no Facebook:

URGENTE: EVENTO ACADÊMICO PROIBIDO (em 2017)!

Pessoal, peço que leiam até o final pois o que aconteceu hoje na UFSC com a Semana Vítimas do Comunismo: 100 Anos da Pior Tragédia do Sec XX é algo inaceitável e que me entristeceu muito. A instituição onde me graduei em Ciências Contábeis rompeu com o espírito acadêmico e científico, de debate de ideias, e passou a perseguir ativamente o pensamento divergente.

Primeiro, a Universidade deletou a divulgação do evento seus meios oficiais: boletim acadêmico, site de notícia e página, tudo deletado. Hoje, pela manhã, informaram que o uso do Auditório para realização do evento foi retirado pelo professor solicitante (deve ter sido muito elogiado pelos colegas, ou não). Por coragem de um outro professor do Centro Socioeconômico (CSE), uma nova requisição para reserva de espaço foi assinada para o evento ocorrer onde já estava reservado e autorizado há 1 mês. Fim da saga? Longe disto:

Agora, recebemos nova ligação do CSE informando que, por decisão da Diretoria de Centro o evento NÃO PODERÁ OCORRER LÁ, apesar de ter sido solicitado e autorizado com mais de 1 mês de antecedência, e ter quase 300 pessoas inscritas. Sem maiores explicações. Esta é a chamada democracia que alguns defendem? Este é um tratamento aceitável no ambiente acadêmico? Eventos de outro cunho político também são proibidos, ou só este?

A liberdade de expressão virou a liberdade de concordar com a opinião vigente. A tragédia autoritária é continuada, nunca acabou. Estamos neste momento procurando outro espaço físico para realização das palestras da Semana Vítimas do Comunismo.

 

Abaixo, a apresentação do evento:

Em novembro de 1917, membros do partido comunista Bolchevique tomaram o poder por armas na Rússia e deram início a um regime de terror que durou 74 anos e dizimou mais de 100 milhões de pessoas por todo o mundo. No mês de novembro de 2017, no centenário da Revolução Russa, as vítimas dos regimes comunistas terão sua história e legado apresentados no evento “Semana Vítimas do Comunismo: 100 Anos da Pior Tragédia do Século XX”.

 
Do dia 06 a 10 de novembro de 2017, Florianópolis será palco de diversas ações que têm como objetivo mostrar a história e legado dos regimes comunistas. Com o apoio da Victims of Communism Memorial Foundation (Fundação Vítimas do Comunismo) e do Instituto Mises Brasil, a Semana Vítimas do Comunismo fará a divulgação da história e legado sobre o comunismo, a história não contada da União Soviética e os regimes por ela apoiados, retratados por especialistas e pessoas diretamente por estes regimes afetadas.
Anúncios

7 comentários

  1. Nenhuma Universidade Brasileira mantida com impostos é de uma certa diretoria ou Reitoria. Estes cargos existence não para posse da Universidade, mas apenas para serviço à instituição.
    Portanto, estas pessoas com seu autoritarismo são indignas do cargo e devem ser colocadas para fora de suas funções de imediato deixando- as por bem ou por mal.
    A liberdade da Universidade e a dignidade de seus alunos está muito acima destas manifestações histéricas e incorentes de poder.
    E o evento deve ocorrer a revelia e em nome da liberdade de pensamento e expressão.

    Curtir

  2. Um regime que causou cem milhões de mortos, e não deixou nenhum benefício sustentável para a humanidade, deve ser lembrado diariamente para que a cabeça primitiva de seus apoiadores, possa ver como é frágil seus respectivos sensos críticos.

    Curtir

  3. LAMENTÁVEL!!!!!!!!!!! Vamos cobrar uma posição para o evento do dia 21/11 que se chama COMEMORAÇÃO AOS 100 ANOS DA REVOLUÇÃO RUSSA pois também tem caráter político e portanto, não deve ser sediado no auditório da faculdade… Ops, é de esquerdalha, aí pode né!!! que vergonha, que feio hein UFSC!!!

    Curtir

  4. #FechemUFSC isso é uma demonstração da intolerante, da arrogância, da prepotência e da hipocrisia que reina, tanto na esquerda qto nas Universidades Bolcheviques Brasileiras. Uma vergonha inaceitável!

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s