Príncipes, ministros e empresários são presos por corrupção na Arábia Saudita

prin

Mais de 200 pessoas foram presas na Arábia Saudita como parte de uma operação anticorrupção sem precedentes realizada recentemente no reino, informou nesta quinta-feira em um comunicado o procurador-geral do país.

A operação atingiu príncipes, ministros e empresários, e diz respeito a desvios de fundos que chegariam a 100 bilhões de dólares em dez anos, segundo a mesma fonte.

“Um total de 208 pessoas foram convocadas para interrogatório até o momento. Dessas 208 pessoas, sete foram liberadas sem acusação. A amplitude potencial dos atos de corrupção revelados é enorme”, indicou o ministério da Informação.

Príncipes, incluindo o famoso bilionário Al-Walid bin Talal (foto), ministros e empresários foram apreendidos no sábado à noite durante uma operação que se seguiu ao estabelecimento de uma nova comissão anticorrupção presidida pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salmane.

As autoridades congelaram as contas bancárias dos acusados e anunciaram que qualquer atividade relacionada a temas de corrupção seria confiscada como propriedade do Estado.

Com o expurgo que os analistas descrevem como um ousado, e arriscado, jogo de poder, o príncipe Mohamed parece querer centralizar o poder em um nível sem precedentes na história recente de seu país.

Participe da discussão

3 comentários

  1. Ende tem leis ética e respeito é assim, Brasil quem denuncia fica preso e o denunciado solto gozando da cara dos bestas

  2. Parece que na Arabia Saudita as pessoas são iguais perante a lei, como deveria ser também no Brasil, onde um se me-analfabeto presidente, se acha acima de todas as pessoas do poder e da justiça!

Deixe um comentário
%d blogueiros gostam disto: