Veja o que Moro diz sobre o “acordão” para livrar Lula da cadeia

 

moro TV

Em sua primeira entrevista à televisão brasileira desde o início da Operação Lava Jato, em março de 2014, o juiz federal Sergio Moro defendeu a importância da prisão após condenação em segunda instância judicial. O magistrado, assim como os demais integrantes da força-tarefa da Lava Jato, tem insistido que o Supremo Tribunal Federal (STF) não reveja sua atual posição sobre o tema.

“Eu tenho expectativa de que esse precedente não vai ser alterado”, disse o magistrado, que foi entrevistado ao vivo no programa Roda Viva, da TV Cultura, nesta segunda-feira (26). “Isso na prática é impunidade e, de uma maneira bastante simples, essa generosidade de recursos consegue ser muito bem explorada por criminosos”, disse Moro. O magistrado afirmou que o número de recursos disponíveis às defesas, em alguns casos, gera a prescrição dos processos e, por consequência, a impunidade.

Moro afirmou, ainda, não acreditar na possibilidade de um “acordão” para livrar Lula da cadeia. “Eu simplesmente, como juiz, não posso acreditar em uma hipótese dessas. Eu já trabalhei convocado no STF, já vi como ele funciona e não posso simplesmente acreditar nisso”, disse ele, aos entrevistadores. “É importante que as instituições mostrem uma firmeza”, completou.]

Moro disse ainda que houve momentos críticos da operação Lava Jato, mas que não se arrepende de nenhuma decisão tomada ao longo das investigações. “Não me recordo de alguma decisão específica que eu me arrependa. Teve alguns momentos de tensão na chamada Operação Lava Jato, mas não por causa de erros”, disse.

Moro também foi confrontado pelos entrevistadores sobre as acusações do advogado Rodrigo Tacla Duran, acusado de operar na lavagem de dinheiro de empresas envolvidas na Lava Jato. Duran alega que foi abordado por pessoas próximas a Moro para que firmasse um acordo de delação premiada.

“É uma fantasia que não existe nenhuma base concreta no que ele fala”, atacou o juiz. “A meu ver ele inventou essa história para afastar o juiz do caso”, acusou Moro. Duran, apesar de ter mandado de prisão expedido na Lava Jato, está foragido na Espanha, onde tem dupla cidadania. Com informações da Gazeta do Povo.

Anúncios

2 comentários

  1. Se isto não for mantido, teremos um retrocesso sem igual, todos os criminosos,sejam os de colarinho branco como os demais entrarão com a mesma solicitação e o Brasil se tornará o pais da impunidade onde qualquer bandido pode procurar refugio! Isto seria por demais vergonhosos!

    Curtir

  2. ENQUANTO FAZEM ESSE ACÓRDÃO , FAÇAMOS NOSSA ORGANIZAÇÃO DE BRASILEIROS CONSCIENTES E NOS PREPAREMOS PARA ENFRENTAR E DESTRUIR AS INSANAS ATITUDES DESSES BRASILEIROS INCONSCIENTES . ESSES QUE DESTRUÍRAM A ECONOMIA BRASILEIRA, OS EMPREGOS O TRABALHO, AS EMPRESAS, ATRAIRAM A CORRUPÇÃO AVASSALADORA, ENVOLVERAM EMPRESÁRIOS E OS ALIADOS POLÍTICOS, ALÉM DE ENVOLVEREM TAMBÉM SEUS ADVERSÁRIOS EM SUAS TRESLOUCADAS MARACUTAIAS.// A ELEIÇÃO ESTÁ LONGE, E O MAL CADA VEZ MAIS PRÓXIMO, PRECISAMOS DE UMA REAÇÃO RÁPIDA URGENTE DETERMINADA!.

    i n t e r v en ç ã o m i l i t a r ” legítima” já!.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s