O encontro histórico entre os líderes das duas Coreias

Publicado por

coreias

 

Após anos marcados por ameaças e tensões, um encontro que até alguns meses atrás parecia impensável: o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, pisou em território sul-coreano para se encontrar com o “inimigo”, o presidente Moon Jae-in.

Kim e Moon deram as mãos e sorriram na fronteira que separa as duas Coreias antes da reunião de cúpula histórica.

Os dois líderes posaram juntos para fotos tanto em solo sul-coreano quanto norte-coreano. Esta foi a primeira vez na história que um líder norte-coreano cruzou a fronteira para o sul.

Após o encontro, os líderes anunciaram que trabalharão em conjunto com o objetivo de eliminar todas as armas nucleares da região e também em transformar o armisticio que interrompeu a Guerra da Coreia, em 1953, em um tratado de paz, o que encerraria de vez o conflito.

Antes do encontro, que até alguns meses atrás parecia impossível, Kim e Moon deram as mãos e sorriram na fronteira que separa as duas Coreias.

Os dois líderes posaram juntos para fotos tanto em solo sul-coreano quanto norte-coreano.

Esta foi a primeira vez na história que um líder norte-coreano cruzou a fronteira para o sul.

A agenda da cúpula estava focada na desnuclearização da região, após anos de tensão crescente por conta dos avanços do programa atômico norte-coreano e dos recentes testes nucleares e de mísseis balísticos.

A promessa de um acordo de paz permanente, também fruto do encontro, pode por um fim definitivo à guerra entre as duas Coreias, entre 1950 e 1953.

O conflito foi interrompido por um armistício e as duas Coreias seguem tecnicamente em guerra desde então, apesar da ausência de combates.

Esta não é a primeira vez que os líderes das duas Coreias se reúnem, mas é a primeira vez que o encontro ocorre na Coreia do Sul.

O pais de Kim Jong-un, Kim Jong-il, se reuniu com presidentes da Coreia do Sul em duas ocasiões: com Kim Dae-jung, em 2000, e com Roh Moo-hyun, em 2007. Os dois encontros ocorreram em Pyongyang, capital da Coreia do Norte.

Com informações da BBC

Curta República de Curitiba
error
Anúncios