CNJ proíbe manifestações políticas de juízes

Publicado por

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) proibiu magistrados de fazer ataques pessoais a candidatos, lideranças políticas ou partidos. A decisão assinada pelo corregedor do CNJ e Ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio Noronha, provocou o reação de entidades da magistratura.

Quatro delas condenaram o provimento do corregedor – a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), a Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), a Associação dos Juízes para Democracia (AJD) e a União Nacional dos Juízes Federais (Unajuf) – e uma informou que vai pedir esclarecimentos: Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe). Além de apontar censura aos magistrados, as associações consideram que o texto do CNJ pode permitir perseguições politicas a juízes.

20180218095931_16893854819_47f2b2a340_k

Curta República de Curitiba
error
Anúncios

2 comentários

  1. Não sou advogado nem juiz, mas achei muito estranha esta decisão do CNJ. Porque só proibir “falar mal”? Porque também não proibir promover benesses imorais como: arquivar processos cheios de evidências, soltar da prisão bandidos políticos que roubaram o país é pior que isso, por descuidarem profundamente e intencionalmente de nossa infraestrutura promoveram a morte de centenas de milhares de brasileiros na Saúde, na segurança, etc.?
    Muito estranho e porque não dizer que beira o imoral?!