Lewandowski autoriza Lula a conceder entrevista

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a conceder uma entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, informou a assessoria do magistrado à Reuters nesta sexta-feira.
Essa é a primeira decisão favorável ao petista em conceder entrevista, desde que ele foi preso em abril para cumprir pena pela condenação no processo do tríplex do Guarujá (SP).

Anúncios

6 comentários

  1. Este Ministro mais uma vez mostra sua falta de critério de justiça em troca de critérios ideológicos. Não é, portanto, um juiz e sim um pelego de partido. No caso o PT!
    Quanta mediocridade, mas o povo saberá julga-lo quando chegar a hora!

    Curtir

  2. Sim, Lewa é um pelego, um serviçal, um borra botas juridico, um anão…. pagamos seu salário até quando vamos aguentar isso. Pior são esses servicinhos vitálicios que a CF vagabunda admite que permaneçam. Será que Deus não pode jogar um raio na cabeça desse velho imundo.

    Curtir

  3. Duvido muito que essa entrevista saia , já deve ter um monte de gente acionando a Justiça para impedir , como conseguiram em relação ao outro presidiário !

    Curtir

  4. Isso é um absoluto absurdo d o ministério público tem que barrar isso, entrevistas é um direito vetado, é uma das liberdades vetadas pela condição de preso.

    Curtir

  5. Pelo que entendi na matéria abaixo transcrita referente ao veto da entrevista ao esfaqueado de Bolsonaro, o presidiário Lula, também não tem direito a conceder entrevista para qualquer meio de comunicação.
    ESTE MOLUSCO TEM QUE APRENDER A RESPEITAR A LEI.
    “Tribunal veta entrevista com esfaqueador de Bolsonaro
    por Patrick Ignaszevski
    O Tribunal Regional da 3ª Região (TRF-3) concedeu liminar em mandado de segurança impetrado pelo Ministério Público Federal (MPF) em Mato Grosso do Sul (MS) e determinou a suspensão da realização de entrevistas com Adélio Bispo dos Santos, autor do atentado contra o candidato à Presidência Jair Messias Bolsonaro.

    O MPF também criticou a falta de fundamentação da decisão judicial e destaca três pontos da Lei de Execução Penal que foram ignorados na referida decisão: ela trata apenas da “entrevista pessoal e reservada com o advogado” e não prevê como direito do preso conceder entrevistas à imprensa; estabelece que o preso tem direito de “contato com o mundo exterior por meio de correspondência escrita, da leitura e de outros meios de informação que não comprometam a moral e os bons costumes”; e confere ao preso “proteção contra qualquer forma de sensacionalismo.”

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s