Sem uma direita organizada, França mergulha no caos

Destino e habitat favorito da esquerda amamentada brasileira, Paris acorda envolta em cinzas, estilhaços e tinta spray. Acostumada a interferir em negócios, nas relações de trabalho e a manter eleitores presos a benefícios sociais, a burocracia francesa não sabe  agora, que o dinheiro está curto, como lidar com demandas de vândalos por mais subsídios e preços artificialmente baixos. É a clientela lulista deles.

Acontece que por lá não teve Trump, Brexit, Salvini ou Bolsonaro. Mesmo a candidata derrotada na última eleição, Marine Le Pen, chamada pela extrema imprensa de “extrema-direita”, é crítica de Bolsonaro e não defende valores judaico-cristãos ou plena liberdade econômica (é a favor de que o aborto siga legal e gratuito naquelas terras). Ao contrário, como é típico da esquerda, inclusive possui histórico familiar antissemita.

Anúncios

1 comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s