Médicos, deputado estadual e agentes públicos envolvidos em esquema para furar fila no SUS

Publicado por

A Gaeco – Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado- está nas ruas para cumprir 12 mandados de prisão temporária e 44 de busca e apreensão no Paraná. O Ministério Público do Paraná deflagrou hoje a operação Mustela, que investiga um suposto esquema envolvendo médicos e servidores públicos que cobravam valores de pacientes para furar a fila do Sistema Único de Saúde, o SUS.

Um dos envolvidos no esquema é o deputado estadual Ademir Bier (PSD), que não foi reeleito. Os pacientes que necessitavam passar por procedimentos cirúrgicos faziam contato com um assessor do parlamentar do deputado, Paulo de Morais, o Paulinho, que fazia a intermediação com os médicos. O grupo cobrava entre R$ 2 mil e R$ 8 mil de cada paciente e chamavam a propina de “pacotinho”.

A justiça determinou a prisão de dois médicos que cobravam até R$ 8 mil de pacientes para furar a fila de cirurgias e procedimentos. A operação ainda está em andamento.

Curta República de Curitiba
Anúncios