URGENTE, PT IMPULSIONOU REDES SOCIAIS

Publicado por

PT_ORGANIZA_O_CRIMINOSA.jpg1

O PT usou um esquema ilegal para impulsionar nas redes sociais as candidaturas de Lula, Gleisi Hoffmann, Luiz Marinho e Wellington Dias, segundo a empresária Joyce Falette dona da empresa contratada para espalhar a propaganda.

Diz O Globo:

“Investigada por envolvimento no esquema petista de compra de elogios na internet, a empresária Joyce Falette admitiu ao Ministério Público Eleitoral ter recebido ordens do deputado Miguel Corrêa (PT-MG) para impulsionar ilegalmente conteúdo favorável a candidatos petistas durante a eleição deste ano. Segundo Joyce, o esquema de propaganda ilegal teria atingido 10 milhões de internautas durante a campanha”.

Segue trecho do depoimento:

“Que a depoente recebeu uma ‘ordem’ para testarem a força da rede de influenciadores, divulgando a #lulazord com o objetivo de alcançar os assuntos mais relevantes no Twitter (trending topics). Que a experiência foi positiva e alcançou mais de dez milhões de pessoas impactadas, o que levou a Fórmula a dar à depoente uma nova ordem desta vez para a divulgação de conteúdos voltados aos candidatos do Partido dos Trabalhadores, especialmente Wellington Dias (Piauí), Gleisi Hoffmann (Paraná) e Luiz Marinho (São Paulo)”.

Vale lembrar que o presidente eleito Jair Bolsonaro foi acusado em outubro deste ano de caixa 2 para campanha via whatsapp. O PT e a Folha de São Paulo o acusaram de ter recebido em torno de 12 milhões para a campanha através de um serviço chamado “disparo em massa” via whatsapp.  Haddad, candidato derrotado, o acusou de formar uma rede de fake News. Tudo muito bem elaborado pela esquerda, mas nada se provou.

Na verdade provou-se que quem estava com esquema ilegal para impulsionar nas redes sociais era o próprio PT. Nada de novo, isso não espanta quem conhece os métodos desse partido.

Anúncios

3 comentários

  1. Mas informações como essas os Petistas nào divulgam em suas redes, onde as noticias que possam acabar com o Presidente eleito circulam aos borbotões.

Deixe uma resposta