O MP “KGB”

Publicado por

O COAF é um sistema que obriga bancos a informar movimentações específicas com predeterminados padrões. São relatórios de inteligência para que os órgãos de investigação, caso tenham outras suspeitas, peçam a um juiz acesso a toda a movimentação.

A grande maioria das informações são sobre pessoas de bem e operações normais, logo descartadas, sem que se abra um inquérito e sem que um juiz libere o acesso de promotores e policiais às nossas contas.

No caso do Rio de Janeiro, foram relatadas movimentações de dezenas de assessores da Assembleia Legislativa do Estado. Ao que parece, o Ministério Público do Rio formalmente investiga todos esses, quando na verdade, sem ordem judicial, serviu-se desse pretexto para, sem revelar a um juiz, vasculhar durante meses as contas de um filho de Jair Bolsonaro.

Jair era pré-candidato e subia nas pesquisas prometendo pautas contrárias aos interesses de muitos no MPRJ. Composto de cerca de 2 mil promotores, o MPRJ possui abnegados acusadores do crime, mas é verdade que sofre de corporativismo, apego a privilégios, ideologias de esquerda, ambientalistas, anti-cristãs e de revolução sexual, entre outras subversões.

Fato histórico inegável é que o MPRJ, junto com outros órgãos do Estado, compartilha a responsabilidade pela miserável falência do combate ao crime no Rio. É muito estranho que um MP permeado pela esquerda e fracassado no combate ao crime tenha ocultado do Judiciário que estava investigando um deputado estadual, filho do protagonista da nossa democracia desde aquela época.

Ao não informar a um juiz, ninguém sabia o que e por que o MPRJ fazia. Haverá quem defenda a legalidade deste descontrole. Mas na Lava Jato, na República de Curitiba, era Moro, Deltan e PF, não Deltan, Deltan e Deltan. Nas sombras, com muitas ferramentas e conveniente à esquerda essa investigação combina mais com a KGB do que com o MP.

Curta República de Curitiba
error
Anúncios

3 comentários

  1. Quem tem a KGB, pode esquecer liberdade de expressão, justiça, democracia, transparência, etc.
    Para isso, as Instituições foram aparelhadas pelos aliados dos governos petistas, promotores da agenda comunista do Foro de São Paulo.
    Limpar a casa suja é uma tarefa extremamente árdua.
    Por isso, não sabemos ainda quem mandou matar Jair Bolsonaro!

  2. Quem tem a KGB, pode esquecer liberdade de expressão, justiça, democracia, transparência, etc.
    Para isso, as Instituições foram aparelhadas pelos aliados dos governos petistas, promotores da agenda comunista do Foro de São Paulo.
    Limpar a casa suja é uma tarefa extremamente árdua.
    Por isso, não sabemos ainda quem mandou matar Jair Bolsonaro!