Descoberto o ‘escritório da corrupção’ de Lula

Publicado por

À Polícia Federal, o motorista Carlos Pocente disse também que levou Antonio Palocci em diversas oportunidades a um hotel na Rua Sena Madureira, em São Paulo, “onde Lula costumava despachar semanalmente”.

“E lá já presenciou Palocci encontrar-se com Lula e com Bumlai”, afirmou, em referência ao operador e pecuarista José Carlos Bumlai.

O hotel a que Pocente se refere é o Grand Mercure, que recebia eventualmente alguns eventos do PT.

O motorista de Palocci também levou o ex-ministro várias vezes ao prédio do Banco do Brasil na Avenida Paulista, então escritório da Presidência em São Paulo –  as câmeras do edifício foram retiradas pela gestão petista.

Pocente, que se comprometeu a entregar celulares com trocas de mensagens, contou também que levou Palocci para encontros com Lula e Dilma no espaço reservado do Aeroporto de Congonhas.

leia trecho da delação:

motorista-lula-mercure

Curta República de Curitiba
Anúncios

3 comentários

  1. Sem duvida alguma que se trata de uma gangue do alto escalão do governo PTista.E como são poderosos até as câmaras tiveram que ser retiradas do estabelecimento para não serem incriminados, e depois vem com esse papo de (Eu nunca fiz nada de ilegal) Imagine se fizesse, seria pior ainda?

  2. Fico indignada com tanta noticia de roubos, propinas,, corrupção, assassinatos, facções criminosas, e tudo o mais, e a maioria dessas pessoas ainda estão soltas. Cadê a justiça, já era para Gleice Hoffman, Haddad, Dilma, todos estarem presos junto com o chefe.