Com a decisão do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) de abrir mão de um novo mandato na Câmara dos Deputados, anunciada nesta quinta-feira (24), quem deve assumir a cadeira de deputado federal no próximo dia 1º, em Brasília, é o jornalista e vereador David Michael Miranda (PSOL), de 33 anos. Ele é o primeiro suplente do partido no Rio de Janeiro.

Gay e ativista do movimento LGBT, Miranda exerce mandato na Câmara Municipal do Rio desde 2016. Ele recebeu pouco mais de 17 mil votos na eleição para deputado federal em 2018. O novo deputado é casado há 13 anos com o também jornalista americano Glenn Greenwald, que ficou famoso no Brasil ao denunciar o caso de espionagem promovido pelos Estados Unidos via NSA por envio de entrevista com Edward Snowden, em 2013.

Naquele ano, Miranda foi detido pela polícia de Londres no aeroporto de Heathrow quando viajava de volta da Alemanha para o Brasil. O vereador foi interrogado e ficou detido por nove horas, acusado de terrorismo.

Fica claro a intenção da esquerda mundial com essa repentina desistência de Wyllys. O marido de David espalhou aos quatro ventos que Wyllys está desistindo do mandato por perseguição política. Mentira deslavada mas que cola bem com a esquerda mundial, que já comprou a ideia de que o presidente é homofóbico e tudo mais que inventaram a seu respeito.  Com esse fato a esquerda nacional ganha berço internacionalmente e joga os holofotes novamente para Bolsonaro. Cartas marcadas para desestabilizar o governo em mais uma tentativa de criar um fato baseado em falsidades.

David e seu marido, o jornalista americano Glenn Greenwald

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: