OAB de Minas Gerais não quer divulgação de quem está pagando o advogado de Adélio Bispo

Publicado por

A Ordem dos Advogados do Brasil de Minas Gerais entrou com mandado de segurança junto Tribunal Regional Federal (TRF) da Primeira Região (TRF1) em Brasília, para que o advogado Zanone Manuel de Oliveira não seja obrigado a informar quem pagou seus honorários para que ele atuasse na defesa de Adélio Bispo de Oliveira. Adélio é o homem que tentou matar o presidente Jair Bolsonaro (PSL) durante um ato de campanha eleitoral. O crime aconteceu no início de setembro, em Juiz de Fora, na Zona da Mata.

No dia 21 de dezembro passado, o advogado foi alvo de mandados de busca e apreensão, autorizados pelo juiz Bruno Souza Savino, da Terceira Vara Federal de Juiz de Fora. Os mandados foram cumpridos pela Policia Federal em um hotel em Contagem, na região Metropolitana, onde Zanone mora e possui um escritório.

Foram apreendidos um telefone celular do advogado e um HD com câmeras de segurança do prédio. Teria sido feita ainda a apreensão de livros de caixa, recibos e comprovantes de pagamentos de honorários de Zanone, segundo a OAB-MG.

E como de costume ficamos com questões em aberto. Por que a OAB Minas não quer que descubram quem está pagando o advogado de Adélio? Será que quem está financiando o advogado tem ligações com a OAB?

Aguardamos agora o TRF se pronunciar sobre o mandado de segurança e se será concedido ou não.

Curta República de Curitiba
Anúncios