Paraná em perigo: presidente do TJ quer nomear juíza que solta até preso do PCC

Publicado por

Os juízes do Paraná estão tensos após a divulgação de que o presidente do Tribunal de Justiça do Estado Desembargador Adalberto Jorge Xisto Pereira designou a juíza Fernanda Orsomarzo de uma pequena cidade do interior do estado (Ibaiti) para atuar na Central de Audiências de Custódia da Capital.

Na prática, é a juíza quem decidirá quem fica preso e quem sai solto na República de Curitiba.

“A bandidagem está soltando foguete em Curitiba” disse um promotor ouvido pelo RC.

A juíza é conhecida por suas posturas progressistas esquerdistas de liberar preso, seja ele ladrão de galinha seja do PCC.

Tudo isso se deu justamente na semana em que o tribunal recebeu a visita do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) ministro Dias Toffoli. Há quem não acredite em coincidência.

“O crime só vai aumentar” comentou outro promotor que também prefere não se identificar.

“A juíza Fernanda é uma juíza ativista de esquerda. Foi uma das cabeças do mutirão carcerário onde soltaram até preso ligado ao PCC (facção criminosa de São Paulo)” disse uma fonte ligada ao tribunal.

O tribunal vinha mantendo essa nomeação em sigilo. Os juízes só descobriram quando o tribunal teve que designar uma outra juíza de outra comarca para ficar no lugar dela. A repercussão da nomeação foi tão negativa entre os juízes que o tribunal estuda rever a nomeação.

O RC apurou que a juíza Fernanda Orsomarzo é integrante da AJD (Associação Juízes para a Democracia), associação de magistrados de viés marxista que frequentemente fala ao público como se representasse todos os juízes, quando, na verdade, é repudiada pela grande maioria dos magistrados.

Ela também “lacrou” na internet com um textão em que critica a meritocracia. Na época, recebeu várias mensagens de repúdio.

Curta República de Curitiba
Anúncios