Em decreto publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira (21), o presidente Jair Messias Bolsonaro e o ministro de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque, nomearam o novo diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Joaquim Silva e Luna, e o novo diretor financeiro executivo da empresa, vice-almirante Anatalício Risden Júnior. Eles substituem Marcos Vitório Stamm e Mário Antônio Cecato, respectivamente. A data da posse e o local da solenidade de transmissão de cargo ainda não foram definidos.

O mandato tem validade até 16 de maio de 2022. Os cargos de diretoria são renovados sempre a cada cinco anos.

Ex-ministro da Defesa e general de exército da reserva, Silva e Luna é o terceiro diretor com formação militar a ficar à frente da condução do lado brasileiro da empresa. Ele esteve à frente do Ministério da Defesa de 27 de fevereiro de 2018 a dezembro do mesmo ano e foi o primeiro militar a comandar a pasta.

Com vasta experiência em planejamento estratégico, orçamento e gestão de projetos, ele comandará o lado brasileiro da usina em um momento relevante para a binacional, às vésperas da renegociação do Anexo C do Tratado de Itaipu, que dispõe sobre as bases financeiras e vence em 2023.

A usina é responsável por 17% da energia consumida no Brasil.  Bolsonaro estuda a revisão do acordo entre Brasil e Paraguai sobre energia da hidrelétrica. Atualmente, o contribuinte brasileiro paga o dobro do que os paraguaios pela energia produzida pela usina hidrelétrica.

Aos 69 anos, Silva e Luna, pernambucano de Barreiros (PE), tem uma vasta formação acadêmica e uma carreira sólida no Exército. É doutor em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, mestre em Operações Militares pela Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais e pós-graduado em Política, Estratégia e Alta Administração do Exército na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército e em Projetos e Análise de Sistemas pela Universidade de Brasília.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: