A procuradora-geral da República Raquel Dodge defendeu a Lava-Jato e se mostrou contra uma manobra de advogados que querem livrar políticos corruptos da prisão. Alguns advogados pedem que os processos desses réus políticos sejam enviados para a Justiça Eleitoral e não para a Justiça Federal.

Eles sabem que a Justiça Eleitoral não tem estrutura e pessoal para realizar tais julgamentos, o que faria com que esses processos ficassem engavetados e os corruptos sem pagar por seus crimes. E pior, continuar sendo eleitos.

Dodge afirmou que “A irrazoabilidade do entendimento de que a Justiça Eleitoral tem competência para processar e julgar crimes federais conexos a crimes eleitorais fica ainda mais evidente quando se constata a extrema complexidade de que se reveste boa parte do universo de crimes federais – como é o caso daqueles ligados à Operação Lava-Jato –, a exigir, para o seu bom enfrentamento, não apenas estrutura adequada, mas, também, profissionais especializados”.

Amanhã, terça-feira, essa questão estará sendo discutida pela primeira turma do STF, tratando de dois inquéritos sobre Gilberto Kassab. Se a defesa não conseguir arquivar as suspeitas por corrupção e lavagem, vai pedir que casos como o de Kassab sejam enviados para a Justiça Eleitoral. São os advogados tentando livrar seu cliente da justiça e com isso fazendo com que outras centenas de casos acabem em gavetas empoeiradas.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: