A juíza Maria Isabel do Prado, da 5ª Vara Criminal de São Paulo, condenou o engenheiro Paulo Vieira de Souza, ex-diretor da estatal paulista Dersa conhecido como Paulo Preto, a 145 anos e oito meses de prisão nesta quarta-feira, 6. Ele foi considerado culpado por supostos desvios de 7,7 milhões de reais, que deveria ser destinados a a indenização de moradores impactados por obras da empresa.

Essa é a segunda condenação criminal de Souza, suspeito de ser o operador de propinas para o PSDB de São Paulo. Na semana passada, ele já havia sido condenado a sete anos e oito meses de prisão e vinte anos de detenção por acusações de cartel nas obras do trecho sul do Rodoanel.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: