Isabela Miranda de Oliveira foi vítima de crimes bárbaros durante um churrasco de carnaval no último domingo (3) em Franco da Rocha, na Grande São Paulo.

Estudante universitária do curso de administração de empresas, a jovem de 19 anos ingeriu bebida alcoólica, passou mal e foi levada a um dos quartos da casa para descansar e tentar se recuperar.

Willian Felipe Alves, namorado de Isabela, flagrou a jovem na cama com o cunhado, Leonardo, que estava nu e abusava da vítima. Segundo relatos, Isabela permanecia desacordada.

Ao se deparar com a cena, o rapaz de 21 anos espancou a namorada e ateou fogo nela. As agressões contaram com a ajuda de sua irmã, esposa de Leonardo. Isabela teve 80% do corpo queimado e, depois de alguns dias internada em estado grave, não resistiu aos ferimentos e morreu.

“A família não concordava com a relação de Isabela com esse cidadão, mas meu irmão [pai de Isabela] recebeu ele na casa dele e sempre o tratou bem […] e em troca ele fez isso com a minha sobrinha”, lamentou o tio.

“Eles [Willian e a irmã] encheram a minha sobrinha de porrada. E pior, ela estava totalmente entregue, sem reação alguma. Eles bateram muito nela. Esse cara é um assassino”, continua Marcelo Oliveira, tio de Isabela.

Queimada viva

Depois de ser brutalmente espancada por Willian e pela cunhada, Isabela conseguiu ser resgatada das garras do agressor por outras pessoas que participavam da festa. A jovem foi trancada dentro de um banheiro para que Willian não a matasse. Mas o homem não se conteve.

“Ele começou a colocar fogo em plástico e empurrar por debaixo da porta do banheiro. Willian colocou tanto plástico queimado para dentro do banheiro, que Isabela teve de sair para não morrer asfixiada”, conta o tio.

“Premeditadamente, ele já havia ateado fogo em um colchão perto da porta. Quando a minha sobrinha saiu do banheiro, ele jogou ela em cima do colchão em chamas”, conclui o tio.

A polícia foi acionada e Willian Felipe Alves acabou preso em flagrante ainda no local. Ele responderá por homicídio qualificado e lesão corporal.

Leonardo prestou depoimento na delegacia e disse que foi até o quarto no andar de cima para “pegar uma blusa”. Leonardo disse ainda que “não se recorda de nada do que aconteceu” e que não sabe explicar por que estava sem roupas na cama em cima de Isabela. Ele permanece em liberdade.

A Polícia Civil de Franco da Rocha investiga o assassinato de Isabela. A prisão temporária de Willian foi convertida em preventiva nesta quinta-feira (7).

Isabela Miranda de Oliveira

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: