Rodrigo Maia voltou atrás na tentativa de bloquear o projeto de Moro, e isso é um sinal muito claro que ele entendeu a lambança que fez. Ao contrário do que prega o mundo de fantasia da extrema-mídia, esse governo conta com uma base de apoio popular imensa, sendo bastante ativa nas redes sociais. Maia é um político mediano, com uma votação mediana, que se acostumou a lidar com um presidente sem qualquer apoio popular e totalmente desgastado. Ele achou que a forma que ele lidava com o antigo governo seria exatamente igual ao atual governo, que bastava apenas a força do cargo para pressionar o executivo a atender suas exigências. Doce ilusão, o que ele conseguiu foi se ver no centro do furacão que é as redes sociais, sendo tachado como o inimigo público número um da população. Isso obviamente deve ter assustado ele, forçando a revisão do seu comportamento para evitar o suicídio político que estava sendo estimulado a cometer, pela galerinha de lastro que dizia que ele era o todo poderoso da vez. De toda sorte, você não verá a extrema-mídia assumindo isso, mas sim algum narrativa alucinada de que ele é um excelente negociador e resolveu fazer o melhor diante um governo “atrapalhado”. Mas a verdade nua e crua, que ele pode até não assumir, mas que está marcado em seu íntimo, é que ele não está mais lidando com um executivo fraco e sem apoio, e ele terá que engolir sua vaidade se quiser sobreviver politicamente.

Por André Porciuncula

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: