A jornalista Mônica Bergamo, fã de carteirinha de Lula, insiste em chamar o prisioneiro de Presidente, que sem o menor constrangimento aceita a qualificação a qual já não faz mais jus.

A autorização para a entrevista foi concedida por decisão individual de Toffoli.

É de se estranhar que um criminoso de alta periculosidade, condenado em segunda e terceira instância, conceda uma entrevista de longa duração a partir de março decisão monocrática de um ex subordinado e apadrinhado, o atual presidente delinquente do STF

Durante a entrevista o prisioneiro era tratado pela jornalista e sua equipe de simpatizantes pelo título de Presidente, como se o Brasil não tivesse um outro presidente da República.

Lula mais uma vez se mostrou um ladrão. Após dilapidar o patrimônio da nação em bilhões de reais, de compactuar com todo o tipo de crime, até mesmo assassinatos, no caso de Cesare Batisti por exemplo, de criar um esquema gigantesco de corrupção, internacional, sem dúvida o maior de todos os tempos no país, mesmo preso, se acha no direito de ser tratado por um título que já não é dele, demonstrando a total falta de respeito com a instituição Presidência da República, com o atual presidente e com o povo brasileiro, a quem enganou, traiu e ousou se dirigir após todos os delitos que cometeu ou permitiu que ocorressem.

É bom que esta entrevista e esta postura de Lula “e sua equipe” sirvam para abrir os olhos dos brasileiros de bem, pois a intenção deles está clara: libertar o condenado e retomar o poder.

A situação é grave, e o afrontamento às leis é aberto e escancarado por parte dos delinquentes que estão a favor de Lula e dos esquemas de corrupção, revelados pela Lava Jato e outras operações da Polícia Federal.

O Congresso está enfrentando dificuldades para cassar os corruptos do judiciário, pois Maia e Alcolumbre, estão nas mãos do STF.

A imprensa vendida, com o apoio do STF, de artistas esquerdopatas e da militância comprada e doutrinada, continua sabotando o governo. 

Bolsonaro está ficando em uma situação complicada e precisa tomar o quanto antes as rédeas do poder que lhe foi conferido a duras penas pelo povo.

É imperativo que tome com urgência as providências cabíveis junto ao Ministério da Justiça, à Procuradoria Geral da República e à Polícia Federal para que a situação não saia do controle, pois infelizmente é a banda podre do judiciário quem continua dando as cartas na condução do processo eleitoral, impossível de ser auditado.

Lula ladrão, seu lugar é na prisão, junto com aqueles que por meio de atos de abuso de autoridade insistem em querer usurpar o poder, se valendo da toga para subverter a lei e a constituição, censurando denúncias para ocultar a verdade, inibir investigações e obstruir a ação da justiça.

Veja a entrevista completa abaixo:

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: