Os serviços prestados pelo escritório da esposa do Ministro Dias Toffoli, foram solicitadas explicações três semanas antes dele, Toffoli, “salvar a pátria”, dos seus interesses extremamente pessoais, travando as investigações baseadas em dados do COAF e da Receita.

Essas e outras informações foram reveladas pelos repórteres Fábio Serapião e Mateus Coutinho:

Entenda abaixo no trecho da reportagem exclusiva:

O trabalho que busca esquadrinhar as operações financeiras do escritório da mulher de Dias Toffoli e as da mulher de Gilmar Mendes foi deflagrado por uma espécie de tropa de elite que a Receita criou no início de 2018. A ideia, já àquela altura, era olhar com lupa os dados tributários de agentes públicos e de pessoas ligadas a eles. Após filtrarem casos com indícios de irregularidades, os auditores selecionaram 134 deles. Na fase preliminar, estavam a ministra do Superior Tribunal de Justiça Isabel Galotti, Guiomar Mendes e Roberta Rangel. Quando o trabalho ainda se encontrava no começo, alguns dos relatórios produzidos vazaram, assim como a lista de alvos. Não demorou para que os próprios ministros estrilassem todo o processo.

Para desafixar a real intenção de travar as investigações, de modo tendencioso e já conhecido da grande mídia, os telejornais esquerdistas imputam que essa decisão ocorreu através do pedido do Senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), com clara intenção de macular o governo e pessoa do presidente Jair Bolsonaro.

Estamos de olho e não vamos descansar até que essa decisão monocrática seja revertida e todas as investigações voltem ao curso natural como devidamente tem que ser.

A República de Curitiba presta um serviço de jornalismo onde o conceito é baseado pela verdade para elucidação dos fatos e acontecimentos em nosso país, em prol de um Brasil limpo da corrupção. Essa não é uma guerra fácil, mas venceremos todas as batalhas contra o mal de mãos dadas, indo às ruas sempre que necessário, curtindo e compartilhando nossos esforços para o bem desta nação.

Júnior Santos da República de Curitiba.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: