O STF ( Supremo Tribunal Federal ) é a mais alta instância do poder judiciário brasileiro, que todo cidadão de bem gostaria que de lá fossem tomadas decisões que atendesse aos anseios da população brasileira em nome da transparência e zelo pelo dinheiro público, zero corrupção, investigações independentes do cargo exercido por homens e mulheres que ingressaram na vida pública. Mas, não é isso que tem ocorrido ultimamente.

O país vem acompanhando algumas manobras monocráticas que o brasileiro honesto não suporta mais, isso que tem sido exigido todas as vezes em que a população sai às ruas em prol de um Brasil sem corrupção. Entretanto, alguns membros do STF parecem insensíveis às exigências da população ao que é benévolo para a nação.

Todavia, em um documento encaminhado ao STF, o Ministério Público do Rio de Janeiro, criticou (veemente) a decisão de Dias Toffoli, de suspender investigações baseadas em dados repassados pelo COAF e pela Receita Federal sem autorização judicial.

Para o MPRJ, Toffoli enfraqueceu os esforços para honrar compromissos internacionais assumidos pelo Brasil no combate à lavagem de dinheiro e à corrupção.

Leia na íntegra o que diz o MPRJ:

 “A matéria debatida possui extrema relevância, visto que o Estado brasileiro, na tentativa de honrar os compromissos internacionais, vem envidando significativos esforços para aprimorar os mecanismos de combate à lavagem de dinheiro, crimes fiscais e tributários, projeto que acaba sendo enfraquecido pela decisão que se pretende questionar e debater, a fim de que o resguardo à normalidade jurídica se restabeleça.

A decisão de Toffoli transforma o sigilo financeiro num direito absoluto para acobertamento de uma macrocriminalidade.”

Uma nação em unidade para o bem não pode perder para exclusividade do mal.

Júnior Santos da República de Curitiba.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: