O STF (Supremo Tribunal Federal) gastou R$ 2.396.324,63 com passagens aéreas para seus ministros, servidores e “colaboradores”, de setembro de 2016 até o mês de maio do ano em curso.

Ao constatar que, pelo menos entre 2009 e 2012, as despesas beneficiaram as esposas dos ministros, em viagens internacionais e de primeira classe, o TCU (Tribunal de Contas da União) recomendou que a “nobre” Corte acabasse imediatamente com essa farra na compra de bilhetes com o dinheiro público.

A fiscalização do TCU prova que os gastos vêm crescendo. Por exemplo, de 2017 para 2018, essa “brincadeira de viajar” quase dobrou: passou de R$567,9 mil para R$1 milhão.

No último balanço divulgado no mês de maio, o gasto foi de R$586 mil, uma média de 54% a mais que no mesmo período do ano passado.

“Quanto mais exigimos coerência para o que é benéfico aos interesses do povo brasileiro, mas incoerência como essa vemos”, concluiu a assessora de comunicação Shyrlayne Nazário de Recife-PE.

Confira abaixo os números detalhados por completo:

Júnior Santos da República de Curitiba

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: