Protocolado no Senado, (30 de Julho) o novo pedido de impeachment de Dias Toffoli ,  a deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP), e outros autores deste pedido classificam como “ato de truculência” a decisão do presidente do STF de suspender todos os processos judiciais instaurados sem supervisão da Justiça que envolvem dados compartilhados pelo Coaf e Receita Federal.

“A decisão CRIMINOSA de Dias Toffoli,  gera irreversíveis danos ao povo brasileiro de bem com a obstrução de investigações efetuadas pela Polícia Judiciária bem como do Ministério Público, já que essa “jogada maligna” suspende todos os processos que usam dados fiscais e bancários de contribuintes sem autorização judicial, comprometendo os avanços no combate à lavagem de dinheiro no Brasil.

O que acontece com essa decisão?

Todo o trabalho da Lava Jato; as investigações ligadas à corrupção, narcotráfico, roubo de cargas, contrabando, entre outros, inclusive, com reversão de condenações, bens e propinas confiscados ao longo dos últimos 20 anos… tudo isso e nada se torna igual a coisa nenhuma.”

“A única explicação para tal proceder é o desespero por perceber que as investigações estão chegando muito próximas a si.”

A República de Curitiba pergunta:

“Qual o medo do ministro ser investigado? – Quem não deve, não teme. Não é mesmo?”

“ É uma decadência moral e institucional, essa decisão do ministro Dias Toffoli, nos coloca em um contexto de total insegurança jurídica, podendo vir a travar o cerco à corrupção, além de obstruir um acervo de mais de 5 mil inquéritos e ações judiciais sobre facções criminosas e tráfico de entorpecentes”, desabafou a Advogada Marília Ferraz, de Recife-PE.

Júnior Santos da República de Curitiba

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: