Aras pode decidir liberdade de Lula

Publicado por

Augusto Aras, nome indicado pelo presidente Jair Bolsonaro, para o cargo de Procurador-Geral da República, no limiar dos primeiros seis meses de gestão, vai encontrar, no Supremo Tribunal Federal (STF), julgamentos que têm impacto imediato e decisivo no trabalho do Ministério Público e das investigações pelo país, como a Lava-Jato.

O Brasil inteiro, já está na expectativa de um dos maiores casos a serem julgados e que vão cair literalmente nas mãos do sucessor de Dodge, já que os rumos de ações de combate ao crime organizado e desvios de dinheiro, como a Lava-Jato, está na pauta do segundo semestre da Corte.

Qual é o caso que já gerou expectativa no Brasil e no exterior?

É o caso do ex-pres… bom, o caso que envolve o pedido de liberdade do presidiário Luiz Inácio Lula da Silva.

A Segunda Turma do Supremo vai julgar um habeas corpus, na ação penal relacionada ao triplex do Guarujá, em que a defesa do “chefe da esquerda”, questiona a conduta do ex-juiz e atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

A defesa do “chefe dos canhotos”, acredita que, o fato de ele (Sérgio Moro) ter aceitado o convite para integrar o governo do presidente Jair Bolsonaro, será a “xeque-mate” para a liberdade de um dos políticos mais corruptos de toda a história do Brasil.

Acreditamos que nosso cliente será inocentado, com base na suposta prova do ataque hacker que revelou conversas entre Moro e procuradores da Lava-Jato, afirma os advogados do “chefe dos canhotos”.

Antes e depois da prisão de Lula, qual foi o benefício das operações da Lava-Jato em todo o país?

A força-tarefa da Lava-Jato já recuperou mais de R$ 67.051.695,52. Traduzindo, foram MILHÕES devolvidos aos cofres públicos. Somente no primeiro semestre de 2019, o MPF recuperou efetivamente mais de R$1,5 bilhão.

Seria esse o pecado do de todos os membros do MPF, do então juiz Sérgio Moro ou do procurador da República Deltan Dallagnol?

Vamos aguardar e acompanharmos atentamente qual será a decisão do novo Procurador Geral da República, Augusto Aras.

Curta República de Curitiba
error
Anúncios