Aras: Ainda é tempo de buscar a verdade real do atentado contra o Presidente

Publicado por

Ao tomar posse nesta quarta-feira, (02/Out), para um mandato de dois anos, o novo Procurador-Geral da República, Augusto Aras, reforça mais uma vez, que o Brasil pode contar com sua presteza e posição firme contra casos semelhantes ao ocorrido em setembro do ano passado.

A República de Curitiba apurou que, o Procurador-Geral da República, Antônio Augusto Brandão de Aras, em recente entrevista cedida ao jornal O Estado de São Paulo, terça-feira (1º/Out), acredita que Adélio Bispo de Oliveira, ao dar a facada no então deputado federal do PSL, não é um “lobo solitário”. E disse mais: “Ainda é tempo de buscar a verdade real do atentado contra o Presidente Bolsonaro. Com esse discernimento, Aras reforça e reproduz o discurso do próprio presidente, que decidiu o indicar ao cargo.

Ao ser indagado se o presidente Bolsonaro, ainda exige apuração do atentado que sofreu, o Procurador-Geral Augusto Aras, foi categórico quando pontuou que esse caso deve-se merecer aprofundamento das investigações e prosseguiu dizendo: “Não me parece possível, não acredito que este cidadão Adélio Bispo tenha agido sozinho.”

Não há nexo algum acreditar que o atentado à vida do atual presidente tenha sido um mero surto de quem quer que seja. Vamos apurar até chegarmos nos respectivos mandantes deste, repito, atentado que em nada se compara a um mero surto.

Em 2018, a PF (Polícia Federal), chegou à conclusão que Adélio agiu sozinho. Na ocasião, a Justiça o considerou inimputável, ou seja, incapaz de responder por seus atos. Entretanto, um novo inquérito foi aberto para apurar a participação de terceiros.

Por fim, ao ser mais uma vez indagado se em algum momento, ele, Aras, havia se convencido da narrativa do “lobo solitário”, respondeu assertivamente: “Não, pelas circunstâncias”, impossível pensar assim!

“Portanto, faz-se mister esse assunto ser tratado pelos advogados do presidente neste momento”, concluiu Aras.

Júnior Santos – República de Curitiba.

Curta República de Curitiba
error
Anúncios