Bolsonaro assina hoje PL que prevê a privatização da Eletrobras

Publicado por

Será assinado hoje, terça-feira (05/Nov.), pelo Presidente Jair Bolsonaro, o projeto de lei que autoriza a privatização da Eletrobras.

A previsão dessa assinatura está prevista para o fim da tarde, no Palácio do Planalto, durante a cerimônia alusiva aos 300 dias da gestão do governo Bolsonaro.

O governo estima que conseguirá arrecadar cerca de R$ 16,2 bilhões com a privatização da empresa. O valor estimado já está previsto no Orçamento do ano que vem 2020.

Através de um comunicado a Eletrobrás confirmou ao mercado a assinatura e ressaltou que o projeto de lei “deverá cumprir todo rito legislativo até a sua promulgação”.

O modelo dessa privatização prevê que novas ações sejam emitidas e vendidas no mercado. O detalhe dessa negociação é que a União diminuirá sua participação abrindo mão do controle da empresa, em torno de 10%, saindo dos atuais 60% para menos de 50%.

Na proposta, o objetivo é facilitar operacionalmente a capitalização, dessa forma está prevista a possibilidade de que o controle das subsidiárias Furnas, Chesf, Eletronorte e Eletrosul seja repassado para a Eletropar, outra empresa do grupo.

O intuito é que a empresa se torne uma corporação privada, sem controle definido e com participação minoritária do governo.

Leia a nota na íntegra:

“Centrais Elétricas Brasileiras S/A (“Companhia” ou “Eletrobras”) (B3: ELET3, ELET5 & ELET6; NYSE: EBR & EBR.B; LATIBEX: XELT.O & XELT.B) informa aos seus acionistas e ao mercado em geral que recebeu nesta data, oficio 787/2019/GM-MME enviado pelo Ministério de Minas e Energia (MME) informando que o Presidente da República deverá assinar amanhã, dia 5 novembro de 2019, o Projeto de Lei (“PL”) que permitirá a desestatização da Eletrobras, destacando que o referido PL deverá cumprir todo rito legislativo até a sua promulgação. A Companhia manterá o mercado informado sobre o conteúdo deste Fato Relevante.

Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2019.

Elvira Cavalcanti Presta Diretora Financeira e de Relações com Investidores”.

(Fonte: DPE)

Por: Júnior Santos – Correspondente da República de Curitiba.

Curta República de Curitiba
error
Anúncios