Anúncios

Governo exonera “Bessias” e mais 13 integrantes do gabinete pessoal de Dilma

Dil x

O Palácio do Planalto exonerou 14 integrantes do gabinete pessoal mantido pela ex-presidente Dilma Rousseff durante o período de seu afastamento.

Entre os exonerados estão Jorge Rodrigo Araújo Messias, que ficou conhecido como “Bessias” ao entregar o polêmico “termo de posse” ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro; o fotógrafo Roberto França Stuckert Filho; o assessor especial Olímpio Antonio Brasil Cruz; o jornalista Mario Marona, que redigia discursos e artigos; Paula Zagotta de Oliveira, que era responsável pelo Blog do Planalto; e Sandra Márcia Chagas Brandão, apelidada de “Google do Planalto”, que era responsável por fornecer rapidamente dados governamentais para Dilma durante debates.

Também foram exonerados os assessores Bruno Gomes Monteiro, Daisy Aparecida Barretta, Deise Veridiana Fortes Ramos, Éden Valadares Santos, Elisa Smaneoto, Maria da Solidade de Oliveira Costa, Marly Ponce Branco e Rosemeri Duarte Ferreira.

Fonte:UOL

Anúncios

Carmen Lúcia no STF. Sociedade espera que ela acabe com a farra salarial dos ministros

screenshot_2016-09-09-09-28-03

 

Com a saída de Lewandowki da presidência do STF  e a chegada de Carmem Lúcia, a sociedade espera que a ministra acabe com a farra salarial dos ministros da corte. Isso porque, hoje, o salário deles é o teto do funcionalismo e tem efeito cascata em todos os três poderes e em todos os Estados. E é a população quem sustenta todo esse peso.

Os governadores também estão aflitos. Será uma diante de uma pressão de mais R$ 4 milhões ao ano caso o aumento dos ministros do Supremo passe e arraste para cima os salários dos servidores estaduais.

Com informações de Eliane Catanhêde, colunista do Estadão.

Temer aumenta segurança jurídica nos contratos trabalhistas e incentiva o ganho por produtividade

temer-trabalhao

O Ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, anunciou, ontem (8), que a reforma trabalhista vai prever convenções coletivas que poderão acordar a possibilidade de um trabalhador cumprir jornada de até 48 horas. O modelo que já é utilizado nas áreas de enfermagem e de vigilância, mas precisa de segurança jurídica, justamente o que  foi apresentado.

O governo Michel Temer vai incluir a possibilidade de contratação por horas trabalhadas ou por produtividade (serviço específico), o que permitirá o vínculo do trabalhador com mais de uma empresa. As duas novas modalidades de contratação, por produtividade e por horas trabalhadas, serão criadas para serviços especializados, como uma opção extra à contratação por jornada de trabalho, utilizada atualmente, e que prevê vínculo com apenas um empregador.

Uma empresa que busca um serviço de um profissional que coloque azulejos, por exemplo, poderá contratá-lo de duas novas formas: pelo produto final, ou seja, a colocação dos azulejos, ou pela quantidade de horas necessárias para que o serviço final fique pronto. “Outro exemplo é o caso do médico, que poderá ser contratado por procedimento realizado.”

A soma das horas trabalhadas, levando em conta todos os contratos, não poderá ultrapassar o limite de 48 horas semanais de trabalho (as 44 horas normais mais 4 horas extras), segundo Nogueira. O ministro disse que os direitos do trabalhador devem ser garantidos e que o ministério vai fiscalizar os contratos.

“Esse contrato por hora trabalhada vai ser formalizado e poderá ter mais de um tomador de serviço. Ele pode ter diversos contratos por hora trabalhada. Vai receber pagamento do FGTS proporcional, férias proporcionais e 13º proporcional. […] A jornada nunca vai ultrapassar das 48 horas semanais para não dar carga exaustiva”, disse.

Atualmente a jornada de trabalho semanal máxima na CLT é de 44 horas. A proposta aumenta para o máximo de 48 horas, incluindo as horas extras, permite que os trabalhadores possam negociar trabalhar 4 horas por semana a mais.

Fonte: Folha de São Paulo. Recomendamos a visita na página:http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/09/1811465-governo-quer-aumentar-limite-de-jornada-diaria-de-8h-para-12h.shtml

 

Populismo de Lula intoxica jovens em BH. República de Curitiba apoia Mises urgente na educação

lula-mineirinho

Coluna de Elisa Robson

Na última terça-feira (6),  em Belo Horizonte (MG), o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva falou durante o 3° Acampamento Nacional do Levante Popular da Juventude, organização que faz críticas ao impeachment de Dilma e classifica o processo de “golpe”. Em seu discurso, para 7 mil jovens, Lula desafiou seus opositores a viver um “dia de pobre”, com a seguinte declaração:

“Eles pensavam que pobre era o problema desse país e nós provamos que pobre é a solução. Dê R$ 1 bilhão a um rico e ele vai transformar o dinheiro em uma conta bancária. Dê R$ 50 a um pobre e ele vai comprar o que comer, o comércio vai produzir, a indústria vai se desenvolver e os empregos vão surgir”.

O que Lula fez com essa declaração foi intoxicar o seu público jovem com mais um discurso populista. Ao lado de Dilma, Lula é co-responsável pelo maior desemprego no Brasil em 24 anos, deixando um país com mais de 11 milhões de trabalhadores sem ocupação. E esse é só  um dos motivos que revelam a perversidade  do assédio covarde do seu discurso.

Governantes populistas têm facilidade em utilizar bodes expiatórios e em recorrer a teorias conspiratórias para explicar por que o país está passando por dificuldades, ao mesmo tempo em que se apresentam à população como os salvadores da nação. Eles voltam o seu discurso especialmente para os que têm uma renda baixa, e  enquanto isso  são controladores do partido dominante e jamais explicam a fonte da milionária  renda do seu líder.

Por isso, precisamos urgente de uma proposta de educação que apresente ideias liberais, que mostre para as novas gerações do Brasil o lado obscuro desse populismo, tanto em conceitos acadêmicos quanto em discursos claros e diretos. E podemos começar com Ludwig von Mises.

ABRABAR faz manifestação contra vandalismo no comércio em protestos políticos

abrabar-2

 

“Nós recebemos a democracia, lutamos por isso,  nós não podemos ter os estabelecimentos depredados dessa forma”, afirmou Fabio Aguayo, presidente da ABRABAR (Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas), em manifestação nesta quarta-feira (7), em resposta ao vandalismo realizado nós ultimos protestos contra o governo Temer, na capital paranaense.

Segundo Aguayo, empresários e representantes de movimentos sociais pacíficos participaram do ato. “Todos estão aqui prestando solidariedade aos empresários que tiveram seus patrimônios vandalizados”.

Os 100 participantes fizeram uma corrente em volta do bar +55 como forma de protesto e pedido de proteção aos estabelecimentos comerciais durante as manifestações na cidade. O bar foi alvo de depredação durante uma manifestação no último. A reivindicação é de que as manifestações sejam feitas de forma pacífica.

 

Em Brasília, público se levanta e reverencia Polícia Federal

20160907_144109

A Polícia Federal (PF) foi aplaudida de pé pelo público que acompanhava o desfile de 7 de Setembro na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. No momento que os policiais federais foram anunciados as pessoas se levantaram e, com entusiasmo, saudaram a corporação.

No começo da semana, a PF deflagrou a Operação Greenfield, relacionada a investigações em fundos de pensão.

O desfile do grupamento motorizado da Polícia Federal contou com modelos de viaturas ostensivas, como o posto móvel, formado por duas unidades acondicionadas em contêineres, instaladas em uma carreta com área de quase 30 m². Essa carreta realiza inúmeras ações policiais em toda a extensão das fronteiras na região Norte do país. 

Associação Brasileira de Bares atua para reduzir tempo de bloqueio em rua gastronômica durante feriado

fabio-aguayoFábio Aguayo, presidente da Abrabar (Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas)

 

Para garantir  que não haja perdas para o comércio local durante o feriado de 7 setembro, a Abrabar (Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas) conseguiu, junto à Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) do Paraná, reduzir o tempo de bloqueio na Rua Mateus Leme, no Centro Cívico de Curitiba, durante a madrugada de quarta-feira.  Por causa do desfile da Cândido de Abreu, o bloqueio anualmente era realizado à meia noite, mas desta vez acontecerá as 3 da madrugada.

De acordo com Fábio Aguayo, presidente da entidade, a solicitação surgiu em função de existirem diversos bares neste que é um dos maiores polos gastronômicos e de entretenimento da capital. “Sabemos da importância e tradição das comemorações da Independência do Brasil em Curitiba. Porém, em momento de crise econômica, dificuldades de sobrevivência e manutenção de emprego, não podemos ter nenhum abalo no horário e perdas irreparáveis em sensível prejuízo a classe empresarial, dos colaboradores e seus sustentos permanente ou variável. Ainda quando é possível adequar o fluxo de trânsito, sem prejudicar a festa cívica”, disse.

A Abrabar agradeceu o secretário Wagner Mesquita, ao Exército e à Prefeitura, por não se oporem à ideia.

Conselho do MPF prorroga força-tarefa da Lava Jato até setembro de 2017

Deltan

As investigações são coordenadas pelo procurador Deltan Dallagnol

O Conselho Superior do Ministério Público Federal prorrogou por mais um ano o funcionamento da força-tarefa da Operação Lava Jato que atua em Curitiba, no Paraná. O colegiado, presidido pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, estendeu até o dia 8 de setembro de 2017 os trabalhos dos promotores e procuradores que atuam na investigação do esquema de corrupção na Petrobras.

Atualmente, a força-tarefa em Curitiba conta com 11 profissionais do Ministério Público dedicados exclusivamente à Lava Jato e mais três colaboradores que auxiliam nas investigações, coordenadas pelo procurador Deltan Dallagnol.

Também foi prorrogado o funcionamento da força-tarefa que atua no Rio de Janeiro com desdobramentos da Lava Jato ligados a esquema de corrupção na Eletronuclear e em obras da usina de Angra 3.

A Operação Lava Jato teve início em março de 2014 e já se estende por dois anos e meio. A força-tarefa em Curitiba foi instalada em abril daquele ano pelo procurador-geral da República, para dedicação exclusiva ao caso. Ao todo, a operação já teve 33 fases, que levaram à prisão preventiva executivos das grandes empreiteiras do País.

As investigações sobre o envolvimento de políticos na Lava Jato não são conduzidas pela Força Tarefa no Paraná. Os casos envolvendo autoridades como ministros e parlamentares são conduzidos por grupo de trabalho que atua em Brasília, sob supervisão direta de Janot.

Fonte:UOL

Governo do PT deixa rombo de R$ 50 bilhões no escândalo dos fundos de pensão, aponta PF

lula e dilma (1 mãos dadas

Um rombo  de R$ 50 bilhões e desvios de R$ 8 bilhões  nos fundos de pensão foi o levantamento, até agora,  feito pela Polícia Federal  (PF), durante a investigação da Operação Greenfield.

Como isso aconteceu ?  Nos últimos anos, o governo petista se comportou como se os fundos de pensão –  Funcef (Caixa), Petros (Petrobras) , Previ (Banco do Brasil) e Postalis (Correios) – fossem departamentos das estatais.  Os fundos de pensão foram convocados para aportar dinheiro em cada projeto duvidoso que aparecia — como a Sete Brasil — e sustentavam projetos de empresas amigas, além de serem usados como cabides de emprego para indicados políticos. Por isso Leo Pinheiro e João Vaccari Neto, por exemplo, estão sendo alvos das investigações.

A Sete Brasil, por exemplo, tinha um mês de vida, era apenas uma ideia, e recebeu aportes de R$ 3,3 bilhões de três fundos: Funcef e Petros deram R$ 1,5 bi cada um, e a Previ deu outros R$ 300 milhões. Não eram investimentos do interesse dos aposentados, mas sim uma agenda do PT. Em Belo Monte, foi a mesma coisa. A Engevix também está presente nesse escândalo através do FIP Cevix, que recebeu R$ 237 milhões da Funcef.

Líderes do Congresso acham que as investigações da Operação Greenfield chegarão a Lula. O ex-presidente se envolvia pessoalmente na definição de investimentos de fundos de pensão e até do BNDES. No governo Lula, fundos de pensão controlados por petistas, como o Previ , além do banco de fomento BNDES, viraram sócios de dezenas de empreendimentos privados, segundo o colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Mas o aspecto mais cruel ainda é que os rombos deverão, agora, ser cobertos pelos trabalhadores e, pior, pelos aposentados. A Postalis já está descontando 17% dos aposentados; a Funcef já desconta 4%; e a Petros começará no ano que vem a descontar.

Associação Brasileira de Bares prepara protesto contra vandalismo ao comércio, realizado durante manifestações

Abrapar

Na noite desse domingo (4), manifestantes contra o presidente Temer fizeram um arrastão em Curitiba (PR), atacando, com pedradas e bombas, estabelecimentos do comércio local. Em resposta aos atos de vandalismo, a ABRABAR ( Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas) programou um Ato Democrático a favor de manifestações pacíficas,  principalmente contra a depredação do patrimônio público e privado. O evento será realizado no feriado de 7 de setembro,às 14h, em frente ao Bar +55, segundo o presidente da entidade, Fábio Aguayo, que classificou a violência como ” insanidade política”.

Os manifestantes depredaram o Bar  +55, o Banco Itaú e  a sede do Tribunal Regional do Trabalho, além de soltarem bombas. Eles também destruíram parte da sede do PMDB Estadual e alguns carros que estavam estacionados no local.

%d blogueiros gostam disto: